Cotidiano

Três Lagoas segue toque de recolher do Estado, mas buscará ‘exceção’ para manter decreto municipal

Na tarde desta segunda-feira (14), a Prefeitura Municipal de Três lagoas decidiu seguir o artigo 1°, do Decreto Estadual n. 15.559, de 10 de dezembro de 2020, que estipula o toque de recolher às 22h, mas pretende encaminhar uma proposta ao Governo do Estado para abrir uma exceção ao município. Porém, seguindo o parágrafo único […]

Ranziel Oliveira Publicado em 15/12/2020, às 13h15 - Atualizado às 13h50

(Foto: Divulgação / Prefeitura de Três Lagoas)
(Foto: Divulgação / Prefeitura de Três Lagoas) - (Foto: Divulgação / Prefeitura de Três Lagoas)

Na tarde desta segunda-feira (14), a Prefeitura Municipal de Três lagoas decidiu seguir o artigo 1°, do Decreto Estadual n. 15.559, de 10 de dezembro de 2020, que estipula o toque de recolher às 22h, mas pretende encaminhar uma proposta ao Governo do Estado para abrir uma exceção ao município.

Porém, seguindo o parágrafo único do artigo 2º, elaborará uma justificativa de tratamento diferenciado para a Cidade.

Segundo os membros do Comitê, entre eles o promotor de Justiça, Moises Casarotto, o diretor de Vigilância Sanitária, Cristovan Bazan e a secretária de Saúde, Angelina Zuque, o Município cumprirá sobre o toque de recolher determinado pelo Estado às 22h.

Contudo, diante do histórico da Cidade em manter os números de positivos e sempre cumprir com todos os protocolos, mantendo um controle do coronavírus, pedirão para o Estado abrir uma exceção e manter o último decreto da Cidade.

Até a resposta do Estado, todos os estabelecimentos comercias, inclusive bares e restaurantes terão que cumprir o Decreto Estadual que fixa o toque de recolher às 22h.

“Enviaremos um pedido informando a situação epidemiológica do município, anexando nossos decretos, escrevendo um breve relato de tudo que foi desenvolvido pelo Comitê e pedindo esse voto de confiança. Com isso informaremos que cumpriremos o toque de recolher que é obrigatório, mas pediremos para abrir uma exceção diante das informações que enviaremos”, disse.

A secretária informou ainda que “trabalharemos em pontos frágeis como a presença de música ao vivo e eletrônica a fim de evitar aglomeração. A situação continuará sendo avaliada pelo comitê semanalmente, assim como a evolução da doença e o comprometimento da população, empresa e bares”, finalizou.

Jornal Midiamax