Cotidiano

Como fazer? drive-thru de MS passarão a ter testes rápidos para novo coronavírus

Os drive-thru do coronavírus de Mato Grosso do Sul passarão a ter testes rápidos para o Covid-19 nesta semana, anunciou o secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende nesta segunda-feira (25). Hoje começam a ser feitos 80 testes nos de Dourados, distante 225 quilômetros de Campo Grande. Durante a semana, serão implementados testes nos de […]

Evelin Cáceres Publicado em 25/05/2020, às 12h08 - Atualizado às 12h33

Sistema de drive thru em Dourados (Foto: Saul Schramm/Subcom)
Sistema de drive thru em Dourados (Foto: Saul Schramm/Subcom) - Sistema de drive thru em Dourados (Foto: Saul Schramm/Subcom)

Os drive-thru do coronavírus de Mato Grosso do Sul passarão a ter testes rápidos para o Covid-19 nesta semana, anunciou o secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende nesta segunda-feira (25). Hoje começam a ser feitos 80 testes nos de Dourados, distante 225 quilômetros de Campo Grande.

Durante a semana, serão implementados testes nos de Corumbá, Três Lagoas e Campo Grande. “Vamos conversar com os coordenadores e ver como implementar até o final da semana a testagem em todos”, adiantou.

O teste rápido, RT-PCR, serve apenas para detectar se o paciente já teve o novo coronavírus. Segundo o secretário, vai ser agendado e indicado para pacientes que apresentaram febre, coriza, tosse e dor de garganta, apenas sintomas leves da doença, e não tiveram evolução do quadro.

“Após cerca de 8 dias, passados os sintomas, a pessoa vai ao drive-thru com os mesmos cuidados e realiza o exame”, explicou. Pessoas com sintomas do novo coronavírus devem ligar para o disk coronavírus. Em Campo Grande, o número é (67) 2020-2170, para tirar dúvidas e, inclusive, ser consultado por um médico. Pessoas sintomáticas devem manter o isolamento domiciliar, ou seja, não devem sair de casa.

Mesmo que Mato Grosso do Sul seja o Estado brasileiro com menor incidência de casos, é preciso seguir atento, mantendo distância social, lavando as mãos constantemente e usando máscaras nas ruas. Sempre que possível, é preferível ficar em casa porque cerca de 60% dos portadores do Covid-19 não tem nenhum sintoma, mas podem contaminar outras pessoas, principalmente idosos, complicando a saúde dos mais vulneráveis, que podem chegar a óbito após serem contaminados.

Jornal Midiamax