Cotidiano

Taxa de informalidade volta a cair e MS apresenta queda de 2,2% no 2° trimestre

Mato Grosso do Sul não conseguiu manter o índice do primeiro trimestre referente a taxa de informalidade, que era de 39,1% e com a nova pesquisa feita pelo PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua e divulgada nesta sexta-feira (28), apresentou queda de 2,2% neste segundo trimestre, caindo para 36,9%. Conforme os dados, em […]

Vinícius Costa Publicado em 29/08/2020, às 10h33

Imagem ilustrativa. (Foto: reprodução/Marcello Casal/Agência Brasil)
Imagem ilustrativa. (Foto: reprodução/Marcello Casal/Agência Brasil) - Imagem ilustrativa. (Foto: reprodução/Marcello Casal/Agência Brasil)

Mato Grosso do Sul não conseguiu manter o índice do primeiro trimestre referente a taxa de informalidade, que era de 39,1% e com a nova pesquisa feita pelo PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua e divulgada nesta sexta-feira (28), apresentou queda de 2,2% neste segundo trimestre, caindo para 36,9%.

Conforme os dados, em números absolutos, são 430 mil trabalhadores nesta situação, sendo que no trimestre anterior, a quantidade registrada era de 505 mil pessoas, uma diferença de 75 mil trabalhadores em três meses.

Com a pesquisa sendo feita nacionalmente, o estado sul-mato-grossense apresentou a 8ª menor taxa de informalidade entre as unidades federativas. As maiores taxas foram registradas no Pará (56,4%) e Maranhão (55,6%) e as menores sendo em Santa Catarina (26,6%) e Distrito Federal (29,8%).

Jornal Midiamax