Cotidiano

Sua rua está na lista? Pavimentação do Nova Campo Grande começa em outubro

As obras de drenagem e pavimentação do Nova Campo Grande devem ser iniciadas no mês de outubro na Capital. A obra vai custar R$ 40,3 milhões, com a execução de 16 km de drenagem, 20 km de asfalto e 9 km de recapeamento. A obra deve ser concluída no prazo de um ano.  Nesta segunda-feira […]

Mylena Rocha Publicado em 14/09/2020, às 12h05 - Atualizado às 18h01

Foto: Divulgação/PMCG
Foto: Divulgação/PMCG - Foto: Divulgação/PMCG

As obras de drenagem e pavimentação do Nova Campo Grande devem ser iniciadas no mês de outubro na Capital. A obra vai custar R$ 40,3 milhões, com a execução de 16 km de drenagem, 20 km de asfalto e 9 km de recapeamento. A obra deve ser concluída no prazo de um ano. 

Nesta segunda-feira (15) foi divulgada no Diário Oficial do Município a homologação do resultado da licitação vencida pela Construtora Artec. Segundo a Prefeitura, a empreiteira ganhou a concorrência de outras 8 participantes, ao oferecer um orçamento com economia de R$ 12,2 milhões, já que a obra foi orçada inicialmente em R$ 52,5 milhões.

Com as obras, as duas vias que atravessam o bairro Nova Campo Grande, as avenidas 2 e a 7, serão recapeadas e duplicadas. A Avenida 7 será prolongada até o Pólo Empresarial Oeste, onde muitos moradores da região trabalham. O projeto inclui o prolongamento da avenida e a construção de uma ponte de concreto de 40 metros sobre o Córrego Imbirussu. 

Atualmente, a única alternativa é pela Avenida Duque Caxias e o seu prolongamento – a  Avenida Solon Padilha, o que equivale a um trajeto 6 km mais longo. No bairro só há uma passarela de pedestre para a travessia do córrego. O pólo tem 46 empresas funcionando (há outras 12 em instalação) que geram 2.500 empregos.

Com a homologação do resultado da licitação, o passo seguinte é firmar o contrato com a empresa e em seguida a assinatura da ordem de início de serviço pela Sisep (Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos). A obra vai beneficiar aproximadamente 20 mil habitantes do Nova Campo Grande e dos bairros do entorno como a Vila Serradinho, Jardim Carioca e Residencial Nelson Trad, afirma a Prefeitura. 

Segundo o titular da Sisep, Rudi Fiorese, esta população convive há décadas com os problemas decorrentes das características do solo naquela região. Em determinados locais basta perfurar 1,5 metro para encontrar água. Minas afloram na superfície e a água da chuva demora a infiltrar no solo, o que deixa as ruas intransitáveis por muito mais tempo. 

Paralelamente a drenagem e ao asfalto, a Águas Guariroba vai implantar a rede de esgoto, o que vai eliminar os problemas com o transbordamento das fossas sépticas, gerando gastos com frequentes esgotamentos.  

O secretário de Obras Rudi Fioresi explica que o projeto de infraestrutura do Bairro Nova Campo Grande é uma obra complexa. “Será preciso recorrer a algumas soluções de drenagem de alto custo, dreno profundo, implantação de colchões drenantes”, explica. Para se ter uma ideia da dimensão da diferença de custo, com o recurso que será aplicado no Nova Campo Grande, pouco mais de R$ 40 milhões, seria possível executar duas etapas do Nova Lima, com mais de 45 km de pavimentação.

Confira quais ruas serão beneficiadas

Etapa A

Pavimentação: Avenida 4 – Ramo A e B, Avenida 4 – Leste e Oeste, Avenida 10, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 24, Rua 46, Rua 47, Rua 48, Rua 49, Rua 50, Rua 51, Rua 52, Rua 53, Rua 54, Rua 55, Rua 56, Rua 60, Rua 62 e a Rua 76.

Recapeamento: Avenida 10 e Rua Antonio Vieira de Mello, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 26, Rua 57, Rua 60, Rua Emilia Teodora de Souza, Rua Felipe dos Santos e a Rua Teófilo Otoni (Antiga Rua Piraí).

Etapa B

Pavimentação: Avenida 2 – Via e Estacionamento, Avenida 3, Avenida 7, Avenida Amaro Castro Lima e a Rotatória 1.

Recapeamento: Avenida 2 e Avenida 7, Avenida Amaro Castro Lima.

Construção da Ponte de 40 metros sobre e o Córrego Imbirussu, na Avenida 7.

Jornal Midiamax