Cotidiano

Shopping Campo Grande reabre com apenas duas portas funcionando e poucos clientes

Ainda com poucas pessoas na fila de entrada, o Shopping Campo Grande retoma as atividades nesta quarta-feira (22). Para controlar a temperatura e conscientizar os clientes sobre a higienização das mãos, o shopping abriu apenas duas portas de entrada. Os clientes que desejarem entrar no estabelecimento, deverão seguir para as portas do Outback e do […]

Dândara Genelhú Publicado em 22/04/2020, às 13h56 - Atualizado às 18h22

Foto: Leonardo de França, Midiamax
Foto: Leonardo de França, Midiamax - Foto: Leonardo de França, Midiamax

Ainda com poucas pessoas na fila de entrada, o Shopping Campo Grande retoma as atividades nesta quarta-feira (22). Para controlar a temperatura e conscientizar os clientes sobre a higienização das mãos, o shopping abriu apenas duas portas de entrada.

Os clientes que desejarem entrar no estabelecimento, deverão seguir para as portas do Outback e do Bradesco. Para atender as medidas de biosseguranças necessárias durante a pandemia, o Shopping Campo Grande irá funcionar apenas com 30% da capacidade que possui. Se antes o centro comercial poderia ter até 10 mil consumidores circulando, hoje apenas três mil podem realizar compras ao mesmo tempo.

Segundo o superintendente do shopping, Rodolfo Alves, 38, o controle da quantidade de pessoas que entram no estabelecimento é feito nas cancelas do estacionamento. Ele explica que existe um sensor de massa, que mede a quantidade de carros que entra e esse é um sistema automatizado de controle, mas lembra que sempre existe alguém supervisionando.

Shopping Campo Grande reabre com apenas duas portas funcionando e poucos clientes
Para entrar no Shopping Campo Grande, é preciso medir a temperatura corporal.
Foto: Leonardo França.

O shopping considera que em cada carro devem entrar em torno de 2,6 pessoas, segundo análises dos históricos do estacionamento. A partir daí, quando atingirem a quantidade máxima de clientes no local, as cancelas de entrada serão trancadas e só passam a liberar novos consumidores quando algum carro deixar o estacionamento.

Assim que estão dentro do estacionamento e seguirem para alguma das entradas, os consumidores passam por uma medição de temperatura, realizada por um segurança. “E ali já é recomendado que as pessoas higienizem as mãos com álcool em gel”, lembra o superintendente.

No shopping existem marcações com o distanciamento social imposto pelas medidas de segurança, até mesmo a escada rolante foi sinalizada. “O importante é reabrir e garantir a plena segurança dos funcionários e clientes, a gente apoia e obedece rigorosamente as recomendações do poder público”, garante Rodolfo.

Comerciantes

Shopping Campo Grande reabre com apenas duas portas funcionando e poucos clientes
As escadas rolantes possuem marcações para que seja mantido o distanciamento social recomendado.
Foto: Leonardo França.

O gerente da New Old, João Paulo Guelere, 29, admite que o momento é difícil para o setor comercial. “A perspectiva é grande, mas nós vamos passar por um momento difícil, não só a gente, mas todas as lojas”, comenta.

João admite que a pandemia afetou o faturamento das lojas em até 90%. Para evitar maiores perdas, o gerente explica que não fizeram mais compras de mercadorias e só devem comprar novos produtos em novembro, quando esperam uma procura maior nas datas de festividades.

Para tentar driblar a crise, a loja adotou outras formas de venda. Embora tenham reaberto no Shopping Campo Grande, as medidas de segurança não permitem que os clientes provem as roupas, então é oferecida a opção ‘mala’ onde eles podem levar algumas peças até em casa.

Os consumidores que desejarem entrar na loja, serão orientados a passar o álcool em gel e manter o distanciamento social recomendado. Além disso, o estabelecimento optou por atender apenas dois clientes de cada vez.

Consumidores

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax esteve no Shopping Campo Grande por volta das 12h desta quarta-feira (22), o movimento observado ainda era tranquilo e na fila de espera para entrar no centro comercial era de no máximo 30 pessoas. Uma delas era o empresário Maurício Delgado, 29, que aproveitou o pós feriado para pagar as contas e se distrair com a esposa.

Para ele, na visão de lojista, a reabertura não seria indicada,  devido ao pouco movimento que deve gerar. “Mas como consumidor acho bom, porque podemos comprar e distrair a cabeça dessa pandemia”, comenta.

Sobre a opção de abrir as lojas novamente ele acredita que “com as medidas de segurança dá para compensar” o risco que a pandemia oferece. Maurício lembra ainda que com a junção das recomendações de biossegurança e o trabalho de forma consciente, é possível regularizar o shopping.

Jornal Midiamax