Cotidiano

Sem pediatras, Cândido Mariano deve fechar UTI neonatal nos próximos 30 dias

A Maternidade Cândido Mariano, em Campo Grande, informou que deve fechar a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal de forma gradativa nos próximos 30 dias. A instituição afirma que vem enfrentando dificuldades com o fechamento das escalas médicas por falta de pediatras para compor o quadro de atendimento. Conforme um ofício enviado ao Ministério Público […]

Ana Paula Chuva Publicado em 03/06/2020, às 11h53 - Atualizado às 14h28

Maternidade Cândido Mariano
Maternidade Cândido Mariano - Maternidade Cândido Mariano

A Maternidade Cândido Mariano, em Campo Grande, informou que deve fechar a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal de forma gradativa nos próximos 30 dias. A instituição afirma que vem enfrentando dificuldades com o fechamento das escalas médicas por falta de pediatras para compor o quadro de atendimento.

Conforme um ofício enviado ao Ministério Público Estadual, a instituição afirma que desde a abertura da UTI neonatal 1, para atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde) enfrenta dificuldades já que não há médicos suficientes para atender a demanda.

O documento ainda informa que a instituição contou com o apoio da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) que cedeu alguns pediatras da rede municipal de saúde para cobertura das escolas, mas com a aposentadoria e saída de alguns profissionais até o momento não houve reposição no quadro.

A partir desta quarta-feira (3) então, a maternidade decidiu bloquear de forma gradativa os leitos da UTI 1, à medida que os bebês forem recebendo alta, até o fechamento completo, que conforme informado ao Jornal Midiamax, deve ocorrer em 30 dias.

Ainda para a reportagem, a diretora técnica da Maternidade doutora Cláudia Lang, informou que o local chegou a ter apenas um médico atendendo a demanda das duas UTIs e isso oferece um grande risco de desassistência no local.

Além disso, disse em nota, que o hospital pediu ajuda ao Município, mas até o momento não tiveram retorno, o que ajudou na decisão.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande e aguarda retorno.

Jornal Midiamax