Cotidiano

Saúde confirma 1º óbito por coronavírus na Reserva Indígena de MS

Evaristo Garcete, de 59 anos é a primeira morte por coronavírus na Reserva Indígena de Dourados, em Mato Grosso do Sul. O óbito foi confirmado pela  SES (Secretaria de Estado de Saúde) e aconteceu nesta quinta-feira (18). Evaristo tinha diabetes e estava internado desde o dia 07 de junho no Hospital Evangélico. Ele pertencia a […]

Marcos Morandi Publicado em 19/06/2020, às 07h47 - Atualizado às 08h19

Reserva tem 114 casos indígenas infetados pelo coronavírus. (Foto: Marcos Morandi).
Reserva tem 114 casos indígenas infetados pelo coronavírus. (Foto: Marcos Morandi). - Reserva tem 114 casos indígenas infetados pelo coronavírus. (Foto: Marcos Morandi).

Evaristo Garcete, de 59 anos é a primeira morte por coronavírus na Reserva Indígena de Dourados, em Mato Grosso do Sul. O óbito foi confirmado pela  SES (Secretaria de Estado de Saúde) e aconteceu nesta quinta-feira (18).

Evaristo tinha diabetes e estava internado desde o dia 07 de junho no Hospital Evangélico. Ele pertencia a etnia Guarani Kaiowa e é a terceira morte registrada na cidade em apenas um dia.

A Reserva Indígena de Dourados é um dos focos da pandemia do coronavírus, com 114 casos confirmados de coronavírus, segundo dados do Boletim Epidemiológico do Dsei ( Distrito Sanitário Especial Indígena de Mato Grosso do Sul).

Segundo informações apuradas pela reportagem do Jornal Midiamax, a família de Evaristo morava na Aldeia Bororó, mas ele gostava de viver nas ruas da cidade e mantinha contato com outros andarilhos.

Jornal Midiamax