Cotidiano

Reinaldo revoga decreto que criou barreiras sanitárias contra Covid-19

Estado chegou a ter 31 barreiras, sendo 15 de responsabilidade do governo

Adriel Mattos Publicado em 11/09/2020, às 11h14 - Atualizado às 13h04

Governador Reinaldo Azambuja (Marcos Ermínio, Midiamax)
Governador Reinaldo Azambuja (Marcos Ermínio, Midiamax) - Governador Reinaldo Azambuja (Marcos Ermínio, Midiamax)

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), revogou decreto de março que criou barreiras sanitárias nas divisas contra a Covid-19. Publicação consta na edição desta sexta-feira (11) do Diário Oficial Eletrônico (DOE).

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou, por meio da assessoria de comunicação, que as estruturas foram desmontadas.

Em nota ao Jornal Midiamax, a pasta explicou que há uma nova estratégia no combate à doença, deixando a cargo das prefeituras a operação das barreiras. As estruturas abarcadas nesse decreto estavam instaladas em postos fiscais.

“A Comissão de Controle Sanitário (CCS-MS) vai oferecer apoio quanto às questões de isolamento domiciliar, prevenção,fiscalização e de conscientização da população, além de treinamento de equipes e a disponibilidade do software para auxiliar os municípios nas instalações de eventuais barreiras sanitárias municipais”, diz trecho do texto.

Histórico

Chegaram a ser montadas 31 barreiras, sendo 15 geridas pelo governo. As estruturas foram fixadas no Aeroporto Internacional de Campo Grande e nas divisas em Anaurilândia (com SP); Aparecida do Taboado (com SP); Bataguassu (com SP); Brasilândia (com SP); Cassilândia (com GO); Chapadão do Sul (com GO); Corumbá (com a Bolívia); Costa Rica (com GO); Mundo Novo (com PR); Naviraí (com PR); Paranaíba (com MG); Selvíria (com SP); Sonora (com MT) e Três Lagoas (com SP).

Balanço divulgado em julho apontou que 2 milhões de pessoas foram abordadas e 545 casos suspeitos foram identificados e encaminhados para unidades de saúde.

Boletim epidemiológico da SES divulgado hoje mostra que o Estado já contabiliza 58.309 casos confirmados e 1.035 mortes.

*(Reportagem alterada às 13h04 para inclusão de informações)

Jornal Midiamax