Cotidiano

Recorde de casos suspeitos em MS: 770 em investigação e 693 positivos, com 17 mortes

O boletim divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) nesta quarta-feira (20) aponta que Mato Grosso do Sul totalizou, às 10h desta manhã, 693 casos confirmados de Covid-19, o novo coronavírus. De acordo com o secretário Geraldo Resende, são 52 positivos a mais nas últimas 24h. A secretária-adjunta de Saúde Christinne Maymone relatou que são […]

Evelin Cáceres Publicado em 20/05/2020, às 11h02 - Atualizado em 21/05/2020, às 10h03

None

O boletim divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) nesta quarta-feira (20) aponta que Mato Grosso do Sul totalizou, às 10h desta manhã, 693 casos confirmados de Covid-19, o novo coronavírus. De acordo com o secretário Geraldo Resende, são 52 positivos a mais nas últimas 24h.

A secretária-adjunta de Saúde Christinne Maymone relatou que são 5800 casos notificados, dos quais 4316 foram descartados após testagem e 21 excluídos por não apresentarem sintomas do novo coronavírus. Há, além dos 642 casos confirmados, 770 casos estão sob investigação e MS já soma 17 mortes.

O número de casos em investigação se deve ao sistema pedido pelo Ministério da Saúde de que o município deve inserir no sistema o caso confirmado e descartado e depois disso informar ao Estado. Apesar de já ter laudos, cerca de 70 municípios dos 79 de Mato Grosso do Sul ainda estão atualizando os dados, segundo a SES.

Dos 52 casos novos confirmados, 13 são de Guia Lopes da Laguna, 6 de Campo Grande, 6 de Fátima do Sul, 5 em Dourados, 3 em Ponta Porã, Vicentina, Douradina e Bataguassu, 2 de Brasilândia, Paraíso das Águas, Três Lagoas e um caso cada em Camapuã, Deodápolis, Glória de Dourados e Jardim.

São 390 pessoas em isolamento domiciliar, 259 recuperados, 17 mortes e 27 internados, sendo 19 em leitos clínicos e 11 pessoas em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

Mesmo que Mato Grosso do Sul seja o Estado brasileiro com menor incidência de casos, é preciso seguir atento, mantendo distância social, lavando as mãos constantemente e usando máscaras nas ruas. Sempre que possível, é preferível ficar em casa porque cerca de 60% dos portadores do Covid-19 não tem nenhum sintoma, mas podem contaminar outras pessoas, principalmente idosos, complicando a saúde dos mais vulneráveis, que podem chegar a óbito após serem contaminados.

Recorde de casos suspeitos em MS: 770 em investigação e 693 positivos, com 17 mortes

Jornal Midiamax