Cotidiano

Greve faz segurados darem com ‘cara na porta’ no INSS em Campo Grande

Com data agendada para perícia nesta sexta-feira (18), segurados do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), em Campo Grande, deram com a ‘cara na porta’ nesta manhã. Isso porque os médicos não retornaram as atividades, mesmo com determinação, nesta quinta-feira (17), da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, para que retomassem o atendimento presencial. A […]

Dayene Paz Publicado em 18/09/2020, às 08h58 - Atualizado às 13h47

Fila enorme para atendimento é registrada nesta sexta no INSS em Campo Grande (Fotos: Henrique Arakaki, Midiamax)
Fila enorme para atendimento é registrada nesta sexta no INSS em Campo Grande (Fotos: Henrique Arakaki, Midiamax) - Fila enorme para atendimento é registrada nesta sexta no INSS em Campo Grande (Fotos: Henrique Arakaki, Midiamax)

Com data agendada para perícia nesta sexta-feira (18), segurados do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), em Campo Grande, deram com a ‘cara na porta’ nesta manhã. Isso porque os médicos não retornaram as atividades, mesmo com determinação, nesta quinta-feira (17), da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, para que retomassem o atendimento presencial.

A indignação dos segurados vem porque eles foram informados de que a perícia seria realizada na data agendada. No entanto, a realidade na manhã desta sexta foi de fila em frente a agência do Horto Florestal. Dezenas de pessoas tiveram que retornar para casa.

Greve faz segurados darem com 'cara na porta' no INSS em Campo Grande
Acidentado, rapaz perdeu seguro e agendou perícia no INSS. Imagem: Henrique Arakaki

Foi o caso de uma segurada, que preferiu não ter a identificação divulgada. Ela contou que marcou pelo 135 e, até então, estava tudo confirmado. “Tive o atendimento normal, ainda falaram que algumas cidades não teriam atendimento, mas que em Campo Grande iria fazer a perícia”, disse à reportagem do Jornal Midiamax.

Acidentado, um rapaz – que chegou a perder o seguro DPVAT -, chegou antes das 6h30, mas também teve que voltar para casa. “Viemos porque ele perdeu o benefício que recebe desde o ano passado, mas como não tem condições de trabalhar, tínhamos que fazer a perícia. Infelizmente não conseguimos”, contou a irmã do rapaz.

Ao todo, foram feitos 52 agendamentos para esta sexta. A assessoria do INSS em Campo Grande informou que 14 peritos não compareceram e, por enquanto, a agência não realizará mais agendamentos. Também destacou que as pessoas que já teriam horário agendado, o mesmo será remarcado.

Perante a negativa dos médicos para que voltem aos postos de trabalho, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho informou que, caso algum perito apto ao trabalho presencial não compareça para o serviço sem justificativa, pode ter o salário descontado e sofrer um processo administrativo disciplinar.

Médicos se recusam a voltar

Apesar da determinação da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho para que os médicos federais retomem, ainda nesta quinta-feira (17), o atendimento presencial das agências do INSS pelo país, os peritos se recusam a cumprir a ordem do governo.

Na reabertura das agências, que ocorreu na última segunda-feira (14), os médicos afirmaram que não voltariam para o trabalho pois não haviam condições sanitárias. Por outro lado, a Secretaria afirma ter realizado inspeções nos postos durante a semana e atestou que das 169 agências estão em condições de atender o público com segurança sanitária.

Jornal Midiamax