Cotidiano

Médicos que atuam no combate ao coronavírus estão sem receber em cidade de MS

Médicos que atuam no combate ao coronavírus (Covid-19), no Hospital Regional de Aquidauana, estão com três meses de salário atrasado. São cerca de 30 profissionais que estão sem receber. Profissional que preferiu não ter a identidade divulgada disse ao Jornal Midiamax que o mês de março foi pago em julho. Ainda faltam os pagamentos de […]

Gabriel Maymone Publicado em 03/08/2020, às 09h10

Médicos do Regional de Aquidauana estão sem receber salário há 3 meses. (Imagem: Divulgação)
Médicos do Regional de Aquidauana estão sem receber salário há 3 meses. (Imagem: Divulgação) - Médicos do Regional de Aquidauana estão sem receber salário há 3 meses. (Imagem: Divulgação)

Médicos que atuam no combate ao coronavírus (Covid-19), no Hospital Regional de Aquidauana, estão com três meses de salário atrasado. São cerca de 30 profissionais que estão sem receber.

Profissional que preferiu não ter a identidade divulgada disse ao Jornal Midiamax que o mês de março foi pago em julho. Ainda faltam os pagamentos de abril, maio e junho. Então, como o acordo com a prefeitura era que os pagamentos seriam feitos no dia 25 do mês seguinte, o mês de julho ainda não é considerado atrasado.

“A situação fica mais complicada por causa do Covid-19. Estamos trabalhando na linha de frente, sem receber. Teve médico que pegou a doença e foi para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas conseguiu ter alta”, relatou o profissional.

Vale lembrar que o Hospital Regional de Aquidauana recebe pacientes com coronavírus no município, inclusive os indígenas, que representam 84% dos óbitos da cidade.

Atualmente, Aquidauana tem 388 casos confirmados, sendo 180 indígenas, contabilizando 46% de infectados. E com mais um óbito nas aldeias, as mortes de indígenas pela doença correspondem a 84% do total contabilizado no município.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Aquidauana, mas até a publicação deste material não obteve resposta. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Jornal Midiamax