Cotidiano

Incêndio que destruiu Atacadão é o maior dos últimos anos, afirma Corpo de Bombeiros

O incêndio de grandes proporções que ainda atinge a loja do Atacadão, na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, destruiu o interior da estrutura é o maior dos últimos anos. Os últimos incêndios “emblemáticos” foram na Loja Paulistão, em 2012, e na Loja Planeta Real, em 2013, mas segundo o tenente-coronel Fernando Carminatti, eles […]

Fábio Oruê Publicado em 13/09/2020, às 22h37 - Atualizado em 14/09/2020, às 08h11

Incêndio de grandes proporções no Atacadão em Campo Grande (Foto: Henrique Arakaki)
Incêndio de grandes proporções no Atacadão em Campo Grande (Foto: Henrique Arakaki) - Incêndio de grandes proporções no Atacadão em Campo Grande (Foto: Henrique Arakaki)

O incêndio de grandes proporções que ainda atinge a loja do Atacadão, na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, destruiu o interior da estrutura é o maior dos últimos anos.

Os últimos incêndios “emblemáticos” foram na Loja Paulistão, em 2012, e na Loja Planeta Real, em 2013, mas segundo o tenente-coronel Fernando Carminatti, eles não atingiram a mesma proporção de hoje (13).

“Praticamente todo o efetivo de Campo Grande está aqui”, disse ele ao Jornal Midiamax. Conforme ele, mais de 50 militares trabalham no local, sendo que militares voluntários que estavam de sobreaviso também foram chamados para ajudar no combate.

Carminatti também informou que 11 viaturas estão no local, inclusive o veículo com a escada Magirus, de 60 metros, que estava em operação desde março, mas que foi “inaugurada” neste domingo.

A corporação usou o equipamento para tentar controlar as chamas na parte de cima do atacadista.

Prateleira de álcool

Por volta de 17h deste domingo, as chamas começaram em uma gôndola de exposição de álcool e rapidamente se espalharam.

Segundo informou a assessoria do atacadista, a brigada de incêndio atuou para esvaziar o local com o início do incêndio. Uma grande aglomeração de pessoas se formou no lado de fora do estabelecimento.

Vídeo mostra que funcionários até tentaram apagar as chamas quando ainda estavam pequenas, mas o jato de água não foi suficiente.

Confira:

Conforme apurou a reportagem do Jornal Midiamax, um grupo de funcionários ficou preso dentro do mercado e uma parede foi derrubada para fazer o resgate, porém o Corpo de Bombeiros ainda não confirmou esta informação.

Por conta disso, o batalhão de Choque da Polícia Militar foi acionado e para controlar a multidão e também o trânsito no frente do local para que as viaturas pudessem andar com maior liberdade.

Material inflamável

Conforme Carminatti, como o estabelecimento trabalha com grande quantidade de produtos que estão sendo consumidos pelo fogo, o combate ao incêndio deve entrar na madrugada.

Até o fechamento desta reportagem, o Corpo de Bombeiros ainda trabalhavam no combate.

Após o controle total, a corporação começa o serviço de rescaldo e por fim acompanham a situação no local para que não se formem novos focos.

Nos fundos no Atacadão, um tanque com óleo diesel estava preocupando os militares por conta do alto grau de inflamação. Esse material era usado para gerar energia para os equipamentos refrigeradores.

Entretanto, o fogo em uma “montanha” de produtos próximo ao cilindro de diesel foi controlado.

Vizinhos

Devido a grandiosidade do incêndio, que atingiu grandes proporções, um residencial que fica atrás do atacadista foi evacuado e moradores das residências no entorno do local saíram de casa com medo.

Uma das moradoras disse ao Jornal Midiamax que as cenas eram de horror. Barulhos de explosões eram ouvidos a todo o momento.

Jornal Midiamax