Cotidiano

Frio histórico? MS pode registrar 3ºC, mas ‘friaca’ não deve superar recorde dos anos 70

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), emitiu nesta quarta-feira (19), um alerta sobre a aproximação de uma massa de ar frio no Brasil, prevista a partir desta sexta-feira (20). Em vários estados, a previsão é que o frio seja histórico, com incidência até de neve no sul do país. Em Mato Grosso do Sul, contudo, […]

Karina Campos Publicado em 19/08/2020, às 15h10 - Atualizado em 20/08/2020, às 10h52

Manchete no jornal Correio do Estado, do 'frio histórico' registrado em MS. (Foto: Reprodução)
Manchete no jornal Correio do Estado, do 'frio histórico' registrado em MS. (Foto: Reprodução) - Manchete no jornal Correio do Estado, do 'frio histórico' registrado em MS. (Foto: Reprodução)

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), emitiu nesta quarta-feira (19), um alerta sobre a aproximação de uma massa de ar frio no Brasil, prevista a partir desta sexta-feira (20). Em vários estados, a previsão é que o frio seja histórico, com incidência até de neve no sul do país. Em Mato Grosso do Sul, contudo, as mínimas podem variar entre 3ºC e 10ºC e não devem protagonizar frio tão rigoroso como o registrado em décadas anteriores.

De acordo com a previsão da meteorologia, de quinta-feira até o sábado (22) serão os dias mais frios no país, com temperaturas mínimas, e inclusive, registrando 0° no sul do Brasil. No Estado, o tempo será favorável para geada, neblina, e ventos intensos, podendo haver variação nas áreas previstas.

Segundo o meteorologista do Inmet, Francisco de Assis, é a primeira vez no ano que uma geada intensa é prevista no país, além de ser comparada com o frio histórico de 1955, 1963, 1975 e 1985, que fez os termômetros registrarem temperaturas negativas no Estado.

Frio histórico? MS pode registrar 3ºC, mas 'friaca' não deve superar recorde dos anos 70
Manchete no jornal Correio do Estado, do ‘frio histórico’ registrado em MS. (Foto: Reprodução)

No passado

No MS a geada daqueles anos chegou a causar mortes de moradores e animais, além de prejuízos em lavouras. Fazendeiros tiveram perdas no gado, cafezais, safra de soja. Em Ponta Porã e Dourados também amanheceram cobertas com camadas de gelo.

Porém, segundo a meteorologista do Inmet Mayane Araújo, a massa de ar frio não deve atingir tão severamente o Estado. Além disso, as baixas temperaturas já estão sendo registradas nos últimos dias, por conta das chuvas.

“A tendência é que massa se desloque por partes do país. O Centro-Oeste já passava por um período de muito calor, então, o declínio na temperatura vai ser significativo e a população vai sentir. Não podemos dizer que será uma geada intensa como nos anos 70, mas de acordo com nosso modelo, a previsão é que a temperatura caia em torno de 3° a 4° no sul do Estado”, disse.

Conforme o levantamento, as temperaturas devem cair em torno de 14 a 10°, ou seja, regiões como Amambai e Ponta Porã, pode registrar de 2° a 4°. Em Campo Grande, o frio deve chegar no sábado, com clima de 8° a 10°C pela manhã.

Jornal Midiamax