Cotidiano

Fogo se alastra em reserva no Pantanal e moradora corre para conseguir salvar galinhas

Em meio aos trabalhos para combater às chamas no Pantanal, há também a dedicação para salvar os animais. Nesta segunda-feira (28), uma imagem chamou atenção. Keli Munique Silva, funcionária da RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Eliezer Batista, correu até o galinheiro, que estava prestes a ser atingido pelas chamas e conseguiu salvar três animais. […]

Dayene Paz Publicado em 29/09/2020, às 10h25 - Atualizado às 10h59

Mulher correu e conseguiu salvar as galinhas. Imagem: Silvio de Andrade
Mulher correu e conseguiu salvar as galinhas. Imagem: Silvio de Andrade - Mulher correu e conseguiu salvar as galinhas. Imagem: Silvio de Andrade

Em meio aos trabalhos para combater às chamas no Pantanal, há também a dedicação para salvar os animais. Nesta segunda-feira (28), uma imagem chamou atenção. Keli Munique Silva, funcionária da RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Eliezer Batista, correu até o galinheiro, que estava prestes a ser atingido pelas chamas e conseguiu salvar três animais.

De acordo com as informações das equipes que atuam no combate na região, a mudança de direção do vento teria deslocado um dos focos para a sede da RPPN, gerando um tumulto e desespero. Rapidamente, bombeiros, fuzileiros da Marinha e funcionários da Ong Instituto Homem Pantaneiro (IHP), que gerencia a unidade de conservação, combateram as chamas.

“Foi assustador”, comentou a funcionária da RPPN, Keli Munique Silva. Ao ver o fogo se aproximando do galinheiro próximo a sua residência, ela correu e salvou três galinhas. As chamas foram contidas na sede e com a mudança do vento, tomou rumo a uma reserva vizinha. “Se o fogo se alastrar pode entrar pelo vale e chegar à serra”, explicou o tenente bombeiro Pedro Faria, do Paraná.

Devido a concentração os focos de calor no entorno do Amolar, a base da Operação Pantanal II foi montada na Eliezer Batista, onde os bombeiros têm acomodação e alimentação. A Serra Negra, reserva vizinha, servirá de base para o helicóptero do ICMbio, que deve operar a partir desta terça-feira. O abastecimento de combustível será feito por um caminhão com 10 mil litros, vindo de Corumbá em uma lancha.

Jornal Midiamax