Cotidiano

Existe idade ideal para ser mãe? Grávidas depois dos 30 já são um terço dos casos em MS

Com a modernidade, os critérios sobre a idade ‘ideal’ para dar à luz foram mudando e casos de mulheres que engravidam depois dos 30 anos estão se tornando cada vez mais comuns. Somente no ano passado, 14.883 mulheres acima dos 30 anos se tornaram mães em Mato Grosso do Sul, representando 33,5% dos nascimentos, segundo […]

Mylena Rocha Publicado em 13/12/2020, às 08h02 - Atualizado às 11h38

Gisele e Ana se tornaram mães aos 37 anos. (Foto: Arquivo Pessoal)
Gisele e Ana se tornaram mães aos 37 anos. (Foto: Arquivo Pessoal) - Gisele e Ana se tornaram mães aos 37 anos. (Foto: Arquivo Pessoal)

Com a modernidade, os critérios sobre a idade ‘ideal’ para dar à luz foram mudando e casos de mulheres que engravidam depois dos 30 anos estão se tornando cada vez mais comuns. Somente no ano passado, 14.883 mulheres acima dos 30 anos se tornaram mães em Mato Grosso do Sul, representando 33,5% dos nascimentos, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Elas ainda não são a maioria, mas garantem que vale muito a pena esperar para engravidar e assim criar um filho com mais estabilidade e maturidade.

Existe idade ideal para ser mãe? Grávidas depois dos 30 já são um terço dos casos em MS
Gisele teve a filha aos 37 anos. Hoje ela e Melissa são muito próximas. (Foto: Arquivo Pessoal)

A jornalista e arquiteta Gisele Romeiro, de 50 anos, teve uma filha aos 37 anos de idade e hoje vive a relação de companheirismo de mãe e filha que sempre sonhou. Gisele conta que teve o primeiro filho aos 18 anos, o Rafael. Ela conta que sempre sonhou em ter uma filha, mas com o passar dos anos, achou que isso não fosse mais acontecer. 

“Eu tive meu filho, me separei e aí veio o segundo casamento. Eu orei e pedi a Deus, eu queria uma filha. A minha história é engraçada, eu já estava tomando pílula, porque pensei que não queria mais, já tinha quase 38 anos”, conta.

Gisele diz que a segunda gravidez foi uma grata surpresa, em uma madrugada, ela acordou para comer mostarda e aí percebeu que havia algo de diferente. “Eu fui fazer exame e tive a grata e grande surpresa, foi maravilhoso. Eu estava grávida e veio a minha boneca, que hoje é uma grande benção na minha vida, hoje ela tem 16 anos”, diz.

Gisele explica que ser mãe aos 37 anos foi uma experiência completamente diferente. Mais madura, ela conta que se sentiu mais segura para ser mãe. Porém, ela relembra que na gestação de Melissa, teve que desacelerar um pouco para que tudo saísse como planejado. 

“Eu senti muito medo na gestação, tive problemas com a tireóide e minha filha também. Foram coisas assim, de passar muito nervoso. Eu sempre fui muito empresária, não queria largar o meu trabalho, mas teve uma hora que a minha médica disse que eu tinha que escolher entre trabalhar e ter minha filha. Eu fiquei dois meses na cama, sem fazer nada. Foi uma renúncia muito grande, a gente não quer parar de trabalhar, mas deu tudo certo”, recorda.

A história da técnica de enfermagem Ana Paula Lechuga, de 37 anos, é parecida. Ela conta que a gravidez veio quando ela já estava prestes a perder as esperanças. Ana se casou há 13 anos e desde então parou de utilizar métodos contraceptivos, porém, a primeira filha demorou a chegar. Diagnosticada com a síndrome do ovário policístico, ela achou que não conseguiria realizar o sonho da maternidade.

Existe idade ideal para ser mãe? Grávidas depois dos 30 já são um terço dos casos em MS
Ana está gestante de 8 meses e aguarda chegada de Manuela. (Foto: Arquivo Pessoal)

“Com o decorrer do tempo, fiquei desanimada, achei que não ia conseguir ser mãe. Fui ficando triste, sabia que eu precisava fazer um tratamento, investir financeiramente, no meio dessa caminhada, eu engravidei. Aconteceu naturalmente, eu não esperava e nem imaginava, eu queria muito. Foi uma surpresa eu ter engravidado agora”, afirma.

Agora, Ana Paula está gestante de oito meses e aguarda a chegada de Manuela. A técnica de enfermagem conta que a gravidez veio no momento certo, que se sente mais madura e preparada para ser mãe. “Eu sou muito católica, acredito que as coisas acontecem no tempo certo, no momento certo. Qualquer momento seria o melhor momento para ser mãe. Agora, me sinto mais preparada, em relação a anos atrás, me sinto mais madura, mais capaz, com mais sabedoria para lidar com as situações”.

Ana Paula se prepara para a chegada de Manuela, mas explica que não está com medo ou ansiedade. “Estou com 95% das coisas preparadas para o nascimento, são detalhes que faltam fazer ainda. Eu não me considero ansiosa, estou ocupando o tempo para fazer as coisas com calma, finalizar coisas que preciso, buscar informações”, relata.

Enquanto Ana se prepara para o nascimento, Gisele já tem uma filha de 16 anos, a Melissa. Gisele explica que se sente realizada com a família que construiu. Gisele e Melissa são muito amigas e podem contar uma com a outra para tudo. 

“O filho homem tem aquela segurança, proteção. Eu sempre quis um filho para ser a primeira gestação e foi assim, Deus me presenteou. Já a filha mulher é aquela que compartilha o mesmo batom, mesmo perfume, sai com você, que compra junto com você, tem aquela empolgação de emoção de mulher. Nós três nos damos muito bem, somos uma família e amamos uns aos outros”.

Jornal Midiamax