Cotidiano

Em média, cerca de 20 alunos por escola retornaram para sala de aula em Campo Grande

As aulas presenciais em escolas particulares de Campo Grande retornaram na segunda-feira passada (21), porém, poucos alunos da educação infantil voltaram para sala de aula. Durante fiscalização, nesta terça-feira (29), o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), encontrou apenas 9 crianças estudando. Segundo a coordenadora adjunta do Geduc (Grupo de Atuação Especial de […]

Karina Campos Publicado em 29/09/2020, às 16h38 - Atualizado em 30/09/2020, às 08h33

 (Foto: Divulgação MPMS)
(Foto: Divulgação MPMS) - (Foto: Divulgação MPMS)

As aulas presenciais em escolas particulares de Campo Grande retornaram na segunda-feira passada (21), porém, poucos alunos da educação infantil voltaram para sala de aula. Durante fiscalização, nesta terça-feira (29), o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), encontrou apenas 9 crianças estudando.

Segundo a coordenadora adjunta do Geduc (Grupo de Atuação Especial de Educação), Vera Aparecida Frost Vieira, a quantidade de crianças ainda tem sido pouca. Em média, de 12 a 20 alunos por escola retornaram para sala de aula.

“A partir do momento em que os pais se sentirem mais seguros, as crianças vão retornar às aulas presenciais. São 99 escolas que assinaram o termo de responsabilidade com o município que tinham intenção de reabrir, adotando o projeto de biossegurança. É um processo longo, mas responsável. Nós continuaremos as visitas de fiscalização”, disse.

Foram vistoriadas cinco unidades de ensino: Colégio Liceu (unidade 1), Colégio Geração 2001, Colégio Status, Centro Educacional Século XX e Escola Nota 10.

No Colégio Século iniciou as aulas na semana passada, e poucas crianças retornaram, sendo que hoje, apenas 9 estudantes estavam nas atividades presenciais. Todas as escolas visitadas seguiam o projeto de biossegurança, sendo o MP.

“É muito importante, principalmente nesse retorno, que as crianças que estão de volta, sintam-se seguras, o que nos dá também segurança de dar continuidade ao trabalho”, ressaltou a promotora da Saúde Filomena Aparecida Depolito Fluminhan.

A prefeitura, entidades representativas e o ministério estudam a possibilidade do retorno do ensino médio. A próxima reunião para debater o assunto está marcada para o dia 1° de outubro.

Jornal Midiamax