Cotidiano

Cuidado: Inmet alerta para baixa umidade em 63 municípios de MS

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu um alerta de perigo potencial para baixa umidade ao ar em 63 cidades de Mato Grosso do Sul. Os índices podem variar entre 20% e 30% e o aviso é válido até ás 19h desta sexta-feira (17).  Com a umidade relativa do ar baixa, há risco de incêndios […]

Ana Paula Chuva Publicado em 17/04/2020, às 11h56 - Atualizado às 16h56

(Ana Paula Chuva | Jornal Midiamax)
(Ana Paula Chuva | Jornal Midiamax) - (Ana Paula Chuva | Jornal Midiamax)

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu um alerta de perigo potencial para baixa umidade ao ar em 63 cidades de Mato Grosso do Sul. Os índices podem variar entre 20% e 30% e o aviso é válido até ás 19h desta sexta-feira (17).  Com a umidade relativa do ar baixa, há risco de incêndios florestais e à saúde com ressecamento de pele, desconforto nos olhos, boca e nariz.

As cidades em alerta de perigo, segundo o Inmet são Amambaí, Anastácio, Anaurilândia, Angélica, Antônio João, Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Campo Grande, Caracol, Corguinho, Corumbá, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Douradina, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi.

Além de Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jaraguari, Jardim, Jateí, Juti, Ladário, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul,  Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rio Brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Rochedo Santa Rita do Pardo, Sidrolândia, Tacuru, Taquarussu, Três Lagoas, Terenos, Vicentina e Àgua Clara.

Tempo seco e doenças respiratórias

Vale lembrar que com a chegada do frio e a baixa umidade do ar no período aumentam as chances de problemas respiratórios, por isso os cuidados com a saúde, principalmente na atual situação de pandemia pelo coronavírus (Covid-19), devem ser redobrados.

Segundo o médico pneumologista Henrique Ferreira de Brito o outono e o inverno, são estações que sempre causam impacto na saúde, principalmente na saúde respiratória. “Tanto pela troca da estação, mudança na temperatura, mas também porque temos um inverno seco, por isso as pessoas manifestam mais as doenças respiratórias”, explicou.

– Beba bastante líquido;

– Atividades físicas não são recomendadas;

– Evite exposição ao sol nas horas mais quentes do dia;

– Use hidratante para pele e umidifique o ambiente;

– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Jornal Midiamax