Cotidiano

Corte de árvore causa apagão em bairro e moradora tem computadores queimados

A poda de uma árvore morta causou polêmica na tarde desta terça-feira (13) na Rua Iugoslávia, 90, no Jardim Batistão, em Campo Grande. Um ano após pedidos de corte, funcionários da Prefeitura Municipal fizeram o corte e, durante o processo, galho caiu em rede elétrica e com apagão, moradora teve dois eletrodomésticos queimados. Conforme Tatiane […]

Mariane Chianezi Publicado em 13/10/2020, às 17h21 - Atualizado em 14/10/2020, às 09h38

Guarda Municipal chegou a ser acionada | Foto: Leonardo de França, Midiamax
Guarda Municipal chegou a ser acionada | Foto: Leonardo de França, Midiamax - Guarda Municipal chegou a ser acionada | Foto: Leonardo de França, Midiamax

A poda de uma árvore morta causou polêmica na tarde desta terça-feira (13) na Rua Iugoslávia, 90, no Jardim Batistão, em Campo Grande. Um ano após pedidos de corte, funcionários da Prefeitura Municipal fizeram o corte e, durante o processo, galho caiu em rede elétrica e com apagão, moradora teve dois eletrodomésticos queimados.

Conforme Tatiane de Rezende Ramos, de 36 anos, várias ligações pedindo o corte da árvore sem vida foram feitas ao longo dos meses e hoje, por volta das 8h, dois funcionários apareceram para cortar.

“Quando começaram a fazer o corte, um galho caiu na rede de energia e deu um apagão. Dois computadores de casa queimaram e quando eu fui pedir satisfações para os dois funcionários, falaram para eu fazer orçamentos e procurar os meus direitos”, disse.

Tatiane disse que queria que alguém se responsabilizasse no momento e, para impedir que a equipe saísse do local, ela entrou na frente do caminhão.

A discussão com os funcionários prosseguiu até a tarde de hoje, quando uma equipe com oito guardas municipais chegou no endereço para conseguir “liberar” os dois funcionários da prefeitura. “Falaram que se eu não saísse da frente, eu seria presa”, disse. Após diálogo, a moradora saiu da frente do caminhão e funcionários foram embora.

Uma equipe de manutenção da Energisa foi ao local realizar os reparos na rede e orientou que Tatiane conversasse diretamente na empresa para verificar como proceder. Ela ligou para a concessionária, mas foi orientada a procurar pela prefeitura, pois funcionários que cortaram os galhos não eram a serviço da empresa.

Outra moradora, Jucirlana Paes, de 54 anos, disse por um ano chegou a ir pessoalmente na prefeitura para solicitar o corte da árvore e, dentro desse período, durante uma chuva, um galho chegou a cair na varanda de sua casa.

“No dia da chuva eu estava com mais dez pessoas em casa e toda vez que começava a chover forte, é um desespero, porque a gente sentia medo da árvore cair”, disse.

Em nota, a Energisa informou que a interrupção de energia na Rua Iugoslávia, no Jardim Batistão, “foi ocasionada por rompimento de cabo devido poda de árvore realizada por terceiros. Equipes da distribuidora foram direcionadas para o atendimento às 10h31 e o reparo foi concluído às 12h34, normalizando o serviço para o cliente”.

A reportagem entrou em contato com as assessorias de imprensa da Prefeitura Municipal, mas até o fechamento deste material, não haviam se posicionado.

(Editada às 9h22 do dia 14/10 para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax