Cotidiano

Consórcio Guaicurus desrespeita decreto municipal e ônibus têm passageiros ‘até o talo’

Enquanto Campo Grande atravessa a pior semana da pandemia do coronavírus (Covid-19), as regras para evitar aglomerações e respeitar o distanciamento parecem não existir no transporte coletivo. Na manhã desta quinta-feira (24), ônibus estavam lotados até a capacidade máxima – prática proibida pelo decreto n. 14.551. Assim, passageiros que esperavam nos pontos não puderam embarcar...

Gabriel Maymone Publicado em 24/12/2020, às 08h21 - Atualizado às 17h49

Sem fiscalização, ônibus ficam lotados. (Foto: Fala Povo / Midiamax)
Sem fiscalização, ônibus ficam lotados. (Foto: Fala Povo / Midiamax) - Sem fiscalização, ônibus ficam lotados. (Foto: Fala Povo / Midiamax)

Enquanto Campo Grande atravessa a pior semana da pandemia do coronavírus (Covid-19), as regras para evitar aglomerações e respeitar o distanciamento parecem não existir no transporte coletivo. Na manhã desta quinta-feira (24), ônibus estavam lotados até a capacidade máxima – prática proibida pelo decreto n. 14.551.

Assim, passageiros que esperavam nos pontos não puderam embarcar em alguns veículos devido à lotação e precisaram esperar o próximo ônibus. Foi o que aconteceu com uma passageira que preferiu não se identificar. “Estamos no ponto faz um tempão e estamos indignados. Vários ônibus passaram e não param porque estão cheios. Só que quando chega no terminal, eles deixam entrar gente até não caber mais”, relatou.

As imagens enviadas por leitores do Jornal Midiamax e os relatos denunciam o descumprimento do Consórcio Guaicurus ao decreto municipal, que estabelece lotação máxima de 70%. Além disso, a empresa é responsável por garantir o cumprimento de uma série de medidas para evitar a disseminação do coronavírus, conforme plano de biossegurança apresentado após decisão judicial.

Em outro caso, Ivanete registrou a lotação que teve que enfrentar para ir trabalhar nesta quinta-feira. “Cadê os cuidados do corona? Não era 1,5 metro de distanciamento? Um tremendo desrespeito com nós, trabalhadores. Todos os dias são assim e nenhum fiscal para fazer o povo respeitar nada”, lamenta.

Consórcio Guaicurus desrespeita decreto municipal e ônibus têm passageiros 'até o talo'
Passageiros foram filas e reclamam de número menor de ônibus disponíveis. (Foto: Fala Povo / Midiamax)

Menos ônibus

Apesar de o decreto municipal diminuir a lotação permitida nos ônibus, a frota foi reduzida em vez de ser ampliada. Com isso, os veículos ficam mais cheios e passageiros precisam esperar por mais tempo para embarcar na linha desejada.

A passageira que se identificou apenas pelo nome de Elizângela registrou uma manhã normal do trabalhador no Terminal Bandeirantes. “Olha o tamanho da fila que estava na linha  081, no Terminal Bandeirantes. Distanciamento social? Aonde?”, ironizou.

Prefeitura e Consórcio Guaicurus foram procurados pela reportagem para comentar a situação, mas não responderam aos nossos e-mails. O espaço segue aberto para manifestação.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax