Cotidiano

Confira quais universidades retornam e quais continuam com aulas online em MS

Com Campo Grande na classificação amarela do Prosseguir, o município pode fazer novas flexibilizações e liberar o retorno de algumas atividades, como é o caso das aulas presenciais. As aulas para a educação infantil já voltaram e a expectativa é de que as universidades comecem o retorno gradual às aulas presenciais. Porém, em outras cidades […]

Mylena Rocha Publicado em 02/10/2020, às 16h00 - Atualizado em 03/10/2020, às 10h55

Foto Ilustrativa: Pixabay
Foto Ilustrativa: Pixabay - Foto Ilustrativa: Pixabay

Com Campo Grande na classificação amarela do Prosseguir, o município pode fazer novas flexibilizações e liberar o retorno de algumas atividades, como é o caso das aulas presenciais. As aulas para a educação infantil já voltaram e a expectativa é de que as universidades comecem o retorno gradual às aulas presenciais. Porém, em outras cidades do estado o cenário da pandemia ainda preocupa.

As universidades estão com aulas suspensas desde março, quando a pandemia começou. Apesar da classificação amarela em Campo Grande, algumas cidades ainda têm um alto número de casos e mortes por coronavírus.

Devido às diferentes realidades na pandemia em MS, algumas universidades públicas devem estabelecer regras de acordo com a cidade em que o campus fica localizado. No caso das universidades privadas, as aulas devem retornar aos poucos, com prioridade para disciplinas práticas. A reportagem fez um levantamento com algumas das principais instituições de ensino superior de MS, confira: 

UFMS

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) informou que não tem previsão para o retorno presencial das atividades. A universidade explica que, por ter campi na Capital e no interior, já que os municípios possuem realidades diferentes na pandemia. 

“Com base no Plano de Biossegurança da UFMS, cada Unidade elaborou o seu próprio Plano, de acordo com as características dos cursos e os boletins referentes à pandemia em cada município. Por esse motivo, não há uma data de retorno presencial para as atividades acadêmicas para toda a Universidade, que, por ser multicâmpus, possui realidades muito diferentes”, informou por nota. A Universidade Federal explica que, no momento, a recomendação é a manutenção do ensino à distância.

UFGD

Assim como outras instituições de ensino públicas de Mato Grosso do Sul, as aulas presenciais na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) não devem retornar tão cedo. “No que tange a Universidade Federal da Grande Dourados não há previsão de retorno às aulas presenciais. Dificilmente haverá retorno no ano de 2020 no modo presencial”, informou a universidade.

UEMS

A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) alega que não há previsão de retorno das aulas presenciais em 2020 e que o ano letivo será concluído em ensino remoto. A universidade diz que acredita que o ano letivo volte a ter aulas presenciais em 2021.

“As atividades presenciais em 2020 serão apenas aulas práticas e estágios presenciais em caráter excepcional a cargo dos colegiados de cada curso, atendendo as recomendações dos CAUES (Comitê Multidisciplinar de Ações de Urgências e Emergências em Saúde)”.

IFMS

O IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) prorrogou a suspensão das atividades presenciais até o fim do ano. Porém, os gestores poderão autorizar a execução de atividades presenciais para atender a necessidades letivas e administrativas que não possam ser executadas remotamente.

Conforme divulgou em nota, a mudança é um pedido da comunidade e foi recomendada pela Comissão de Organização de Campanhas de Conscientização dos Riscos e Medidas de Prevenção contra o Coronavírus. A comissão elaborou um documento que norteia quais atividades podem ser retomadas, e com quais medidas de segurança, mediante a avaliação da situação da pandemia no município em que estiver a unidade do IFMS.

“O objetivo é manter a nossa comunidade protegida de várias formas. Ao mesmo tempo que garantimos o menor número possível de pessoas expostas a qualquer risco, também trabalhamos para que nossos estudantes consigam se formar, continuar a vida acadêmica e profissional”, disse a reitora Elaine Cassiano.

UCDB

Depois de sete meses da suspensão das aulas presenciais, a UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) retoma algumas aulas práticas a partir do dia 19 de outubro, com turmas limitadas e em horários variados. A universidade explica que todas as estratégias pedagógicas para retorno das aulas presenciais na UCDB estão descritas no planejamento Institucional de biossegurança aprovado pela Prefeitura de Campo Grande.

De acordo com a UCDB, em outubro devem ser retomadas as aulas presenciais em parte das disciplinas práticas nas áreas de Saúde, Ciências Agrárias e Engenharias. “A UCDB investiu maciçamente na aquisição de softwares para uso de simuladores, laboratórios virtuais e todas as estratégias que possibilitassem o ensino remoto com a mesma qualidade das aulas práticas presenciais, amparadas pelas orientações do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Educação. Agora, teremos o retorno das disciplinas que não puderam se adequar a essas características”, detalhou a Pró-Reitora de Graduação e Extensão da UCDB, Rubia Renata Marques.

A volta das aulas práticas inclui uma série de medidas de segurança: alunos e professores devem manter distância segura, número de estudantes por turma deve ser reduzido para manter o distanciamento, práticas de higiene, uso intermitente de máscara e garrafa de água individual, além de higienização constante e outras medidas que evitam a disseminação do vírus.

Uniderp

A Uniderp também deve retomar as aulas presenciais, algumas aulas práticas devem retornar nos próximos dias. A volta às aulas deve acontecer em três fases. Fase 1: retomada parcial com alto nível de restrições e protocolos de segurança; fase 2: retomada moderada de atividades presenciais e manutenção dos protocolos de segurança; fase 3: retorno aos padrões normais, apenas com cuidados preventivos e ajustes de rotinas. A Uniderp informa que, além das três fases, o plano foi estruturado em 4 frentes de atuação: protocolos e aplicações; plano de comunicação; retomada acadêmica e retomada administrativa, que visam contribuir com a reabertura das unidades de maneira segura e organizada.

Durante esse período, todos os professores seguem ministrando as suas aulas online, ao vivo, para manter a rotina acadêmica. Além disso, todo o conteúdo está disponível no AVA (ambiente virtual de aprendizagem) – que já faz parte do processo normal das instituições – para que não haja qualquer impacto na continuidade dos estudos.

A Uniderp explica que está se preparando para realização de aulas práticas nos próximos dias. A ação corresponde a fase 2: retomada moderada de atividades presenciais e manutenção dos protocolos de segurança. “A instituição reitera que não mede esforços para a adoção das melhores práticas educacionais, assim como a preservação da saúde e segurança de seus alunos e colaboradores”, informou por nota.

Jornal Midiamax