Cotidiano

Com onda de calor histórica, Energisa registra pico de consumo em MS e faz alerta

Com a onda de calor histórico que fez as cidades do estado registrarem temperaturas acima dos 40ºC na última semana, Mato Grosso do Sul registrou consumo de energia recorde na última sexta-feira (2). As informações foram divulgadas pela Energisa, que comunicou que a carga atingiu 1.170 megawatts (MW) no estado. Com o calorão, é comum […]

Mylena Rocha Publicado em 07/10/2020, às 12h08 - Atualizado às 14h25

None
Onda de calor continua no MS e feriado prolongado não tem previsão de chuva

Com a onda de calor histórico que fez as cidades do estado registrarem temperaturas acima dos 40ºC na última semana, Mato Grosso do Sul registrou consumo de energia recorde na última sexta-feira (2). As informações foram divulgadas pela Energisa, que comunicou que a carga atingiu 1.170 megawatts (MW) no estado.

Com onda de calor histórica, Energisa registra pico de consumo em MS e faz alertaCom o calorão, é comum que o consumo de energia aumente, já que os aparelhos, como geladeira e ar-condicionado, precisam trabalhar mais para conseguir refrigerar o ar. Porém, como MS registrou uma onda de calor intenso, o consumo de energia atingiu o pico. Outro recorde registrado neste ano foi de fevereiro, quando a carga máxima registrada no sistema da concessionária atingiu 1.142 MV. 

A Energisa explica que o recorde de consumo foi influenciado pela onda de calor, mas há ainda outros fatores. Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema), a retomada do consumo de energia também pode ser explicada pelo gradual processo de retorno das atividades econômicas.

A orientação é fazer o uso consciente da energia elétrica e economizar sempre que possível. O Concen (Conselho de Consumidores na Área de Concessão da Energisa) alertou para a ‘explosão’ nas contas de energia e destacou que o consumidor deve ter atenção especial a geladeira, que é responsável por 40,25% do valor da fatura. “Evitar de abrir a geladeira várias vezes ao dia. Deixá-la na temperatura média e armazenar água gelada em térmicas, fora da geladeira, contribuem com a redução de consumo”, diz em nota.

Jornal Midiamax