Cotidiano

Com banco lotado na pandemia, clientes passam até 2 horas em fila na Afonso Pena

Com a chegada do quinto dia útil, muitos clientes aproveitaram para ir ao banco resolver problemas ou sacar dinheiro, mas se depararam com uma fila de ‘dobrar’ a esquina na agência do Bradesco na manhã desta segunda-feira (7). Na agência da avenida Afonso Pena com Calógeras, consumidores reclamam da demora e da falta de atenção […]

Mylena Rocha Publicado em 07/12/2020, às 11h57 - Atualizado às 17h51

None
Clientes apontam demora de até duas horas. (Foto: Marcos Ermínio)

Com a chegada do quinto dia útil, muitos clientes aproveitaram para ir ao banco resolver problemas ou sacar dinheiro, mas se depararam com uma fila de ‘dobrar’ a esquina na agência do Bradesco na manhã desta segunda-feira (7). Na agência da avenida Afonso Pena com Calógeras, consumidores reclamam da demora e da falta de atenção às medidas de biossegurança para prevenção ao coronavírus. 

Na fila preferencial, o atendimento tem sido rápido, considerando a quantidade de pessoas que aguardam. Consumidores comentam que a demora chega a meia hora. Porém, na fila comum clientes relatam uma demora de mais de duas horas. A agência abre às 9 horas da manhã e Júlio Paredes, de 44 anos, conta que chegou mais cedo para resolver problemas. Ele relata que depois de mais de duas horas de espera, não conseguiu ser atendido. 

“Ninguém falou nada sobre distanciamento. Eu preciso fazer um saque no caixa, vai além do limite então não consigo fazer no caixa eletrônico. Até agora não consegui ser atendido”, reclama.

Já Rosa Maria de Oliveira, de 47 anos, estava na fila prioritária, acompanhando o tio de 70 anos. Ela reclama do descaso com a pandemia. “Ninguém orientou sobre distanciamento, a funcionária só pediu para esperar na fila preferencial”, diz. Na fila preferencial, idosos e gestantes aguardam no sol na fila por atendimento. 

Ester Elmanoi, de 72 anos, conta que estava na fila há 25 minutos. Ela conta que não houve uma atenção da agência sobre as normas para evitar a transmissão do coronavírus. “Estamos mantendo o distanciamento por conta própria, mas quando chega perto da porta as pessoas já se aglomeram”, afirma.

Na semana passada, a mesma agência também registrou fila com aglomeração e demora em Campo Grande. A espera para entrar no banco chegou a ser de mais de uma hora e gerou muita revolta pela demora no atendimento, debaixo de um sol intenso.

O secretário de Finanças do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, José dos Santos Brito explica que os problemas na demora do atendimento têm sido registrados em diversos bancos, mas no Bradesco a questão se acentua por conta da demissão de funcionários. Segundo ele, foram mais de 2,5 mil trabalhadores demitidos em todo o Brasil.

Além da demissão, há muitos trabalhadores em home office e as regras sobre a lotação dos estabelecimentos. “Não tem como atender todo mundo lá dentro. Precisa cobrar a fiscalização. Se tem o decreto, tem que fiscalizar”, pontua.

O secretário do sindicato ressalta que não são os funcionários que são culpados pelas aglomerações nos bancos. “O funcionário não tem culpa, a culpa é de quem não fiscaliza e do banco que demite funcionários e não cumpre o que deve ser cumprido”.

Em nota, o Bradesco informou a reportagem que funciona em horário diferenciado para preservar a segurança de clientes e funcionários. Confira a nota na íntegra:

A Rede de Agências do Bradesco está funcionando em horário diferenciado de atendimento. O objetivo é preservar a segurança de todos os clientes e funcionários, evitando riscos de propagação do novo coronavírus pela proximidade de pessoas. O horário de atendimento é entre 10h e 14h para o público em geral. Para aposentados e pensionistas do INSS, o atendimento começa uma hora antes e, nos dias de pagamento desse público, a abertura das agências acontecerá com duas horas de antecedência, ou seja, às 8h. Os funcionários do banco também estão orientados a organizarem o atendimento nas Agências e nas salas de autoatendimento de forma a evitar concentração de pessoas no interior dos ambientes, preservando a recomendação de manter distância mínima de 1,5 metro entre elas. A entrada nas agências será escalonada. Podem entrar de 5 em 5 ou de 10 em 10 pessoas, dependendo do tamanho de cada agência. O Bradesco redimensionou ainda o atendimento em um sistema de rodízio, no qual os funcionários se revezam em turnos semanais. O Bradesco tem intensificado a comunicação com os seus clientes para que priorizem a utilização dos canais digitais para realizar suas operações com o Banco. Produtos e serviços disponibilizados pelo Banco podem ser acessados por meio destes canais – celular, internet, equipamentos de autoatendimento e Fone Fácil. É importante ressaltar que a melhor opção é sempre o atendimento por meio dos canais digitais.

*Matéria atualizada às 17h50 para inclusão de posicionamento.

Jornal Midiamax