Cotidiano

Cemitério Santo Antônio é alvo de vândalos e capelas ficam sem portas e janelas

Neste início de ano, muitas pessoas marcam presença em cemitérios da cidade para levar flores, acender velas e orar pelos entes queridos que já se foram. O que muitos não esperam é encontrar capelas invadidas e arrombadas por criminosos. A cena descrita aconteceu no cemitério Santo Antônio, na Vila Dorotheia, em Campo Grande. Um morador […]

Renata Fontoura Publicado em 04/01/2020, às 10h02 - Atualizado às 10h35

Portas e janelas de alumínio são trocadas por usuários de drogas, segundo guardas. (Foto: Leitor Midiamax)
Portas e janelas de alumínio são trocadas por usuários de drogas, segundo guardas. (Foto: Leitor Midiamax) - Portas e janelas de alumínio são trocadas por usuários de drogas, segundo guardas. (Foto: Leitor Midiamax)

Neste início de ano, muitas pessoas marcam presença em cemitérios da cidade para levar flores, acender velas e orar pelos entes queridos que já se foram. O que muitos não esperam é encontrar capelas invadidas e arrombadas por criminosos. A cena descrita aconteceu no cemitério Santo Antônio, na Vila Dorotheia, em Campo Grande.

Um morador da Capital se revoltou com a situação e enviou os flagrantes para o Jornal Midiamax. A capela da família e outras existentes no local estão sem janelas e portas de alumínio. Segundo o morador, ele chegou ao cemitério por volta das 10h no dia 1º e se deparou com a ausências dos materiais de proteção.

De acordo com ele, assim que chegou ao cemitério, foi avisado dos furtos por um dos guardas. Estes alegaram que os autores dos crimes são “noias” que trocam os objetos por drogas.

“Cheguei e vi essa situação. Eu voltei na quinta-feira com um serralheiro pra fazer orçamento e já tinha mais capelas arrombadas”, afirma. “É uma falta de respeito para com nossos entes queridos que estão aqui” lamenta José. Ele ainda reclama pelos gastos que terá para arrumar novas portas e janelas.

Quem é responsável pelo sistema de controles do cemitério é a Prefeitura. Em razão do final de semana, a assessoria de imprensa não foi contatada para detalhes sobre as ações para maior segurança nos cemitérios.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax