Cotidiano

Campo Grande reduziu mais de 23% no descarte de lixo durante isolamento, diz empresa

Mesmo passando mais tempo em casa, por conta do isolamento social, o descarte do lixo convencional e seletivo sofreu redução de mais de 23% em Campo Grande, comparado ao mesmo período do ano passado, de acordo com a Solurb, concessionária responsável pela coleta e destinação do lixo. O levantamento aponta que entre março a julho […]

Karina Campos Publicado em 10/08/2020, às 07h59 - Atualizado às 09h15

(Foto: Arquivo/Midiamax)
(Foto: Arquivo/Midiamax) - (Foto: Arquivo/Midiamax)

Mesmo passando mais tempo em casa, por conta do isolamento social, o descarte do lixo convencional e seletivo sofreu redução de mais de 23% em Campo Grande, comparado ao mesmo período do ano passado, de acordo com a Solurb, concessionária responsável pela coleta e destinação do lixo.

O levantamento aponta que entre março a julho de 2019, cerca de 113 mil toneladas de lixo convencional foram coletas das residências e comércios da Capital, enquanto este ano, foram mais de 112 mil toneladas, ou seja, redução de 1,8%.

Já na coleta seletiva, a redução foi de 23,32%. Entre março e julho do ano passado, foram coletados mais de 2,7 mil toneladas de resíduos, enquanto em 2020, foram 2,1 mil toneladas em descarte. O mês de março foi o período que mais teve redução registrada, quando foi determinado o início da quarentena, sendo 13,54% de diminuição na produção de material.

Shoppings com menos movimento favorece redução de lixo

Os shoppings da Capital também tiveram menos lixo produzido e descartado nas unidades. Conforme o Pátio Central, um dos fatores que contribuiu para isso foi e é a redução da capacidade máxima permitida de pessoas dentro no local.

“Contudo, ao passo que houve uma redução dentro dos estabelecimentos, é inegável que fatores como o crescimento de empresas aderindo ao home office, o aumento do isolamento da população, e o crescimento das vendas delivery, houve também, dentro dos nossos estabelecimentos que atendem esta nova demanda, um aumento significativo do consumo de embalagens de papel, plástico e descartáveis”, informou em nota.

A assessoria de comunicação do Norte Sul Plaza explicou que cerca de 70% do lixo orgânico teve redução na praça de alimentação, e 30% no descarte dos materiais recicláveis.

Já no Shopping Campo Grande, a balanço aponta diminuição de 62% na destinação de Resíduo Sólido Classe IIA em relação ao mesmo período do ano passado. O descarte de papelão manteve praticamente o mesmo volume.

Jornal Midiamax