Cotidiano

Cadê o cliente? Comerciantes de Campo Grande sentem diminuição de pessoas nas ruas

Na segunda semana deste mês de março, a OMS (Organização Mundial da Sáude) declarou pandemia global por causa do aumento nos casos de contaminação do novo Coronavírus (Covid-19). A doença chegou em Mato Grosso do Sul: até o momento, segundo o Governo do Estado, seis casos foram confirmados. Quem tem comécio na Capital já está […]

Renata Fontoura Publicado em 18/03/2020, às 09h27 - Atualizado às 13h16

Após cada atendimento na loja, tudo é higienizado no local. (Foto: Leitor Midiamax)
Após cada atendimento na loja, tudo é higienizado no local. (Foto: Leitor Midiamax) - Após cada atendimento na loja, tudo é higienizado no local. (Foto: Leitor Midiamax)

Na segunda semana deste mês de março, a OMS (Organização Mundial da Sáude) declarou pandemia global por causa do aumento nos casos de contaminação do novo Coronavírus (Covid-19). A doença chegou em Mato Grosso do Sul: até o momento, segundo o Governo do Estado, seis casos foram confirmados.

Quem tem comécio na Capital já está sentindo a queda da clientela nos estabelecimentos. “Está bem parado o movimento”, afirma Lethicia Acosta, funcionária de uma loja feminina localizada no Jardim dos Estados. Apesar do baixo fluxo, o local está tomando medidas protetivas.

“Procuramos limpar com álcool as maçanetas sempre após os atendimentos, assim como o balcão, áreas onde as pessoas colocam as mãos. Estamos evitando abraços e beijos. Disponibilizamos álcool em gel para as clientes. Dessa forma, estamos tentando tranquilizar todas elas neste momento tão delicado”, destaca Lethicia.

Salões de beleza também estão sentindo falta dos clientes, pois, a todo momento, recebem muitas pessoas. “Várias já desmarcaram, ou seja, estão com medo e preferindo ficar em casa. Então diminuiu bastante o movimento”, diz a recepcionista, que prefere não se identificar. Assim como na loja acima, também estão se prevenindo e adaptando as atitudes de limpeza em objetos e mãos.

Ana Clara Bellé, proprietária de um hotel/creche para cachorros também está na lista dos preocupados. A pandemia da doença fez com que os tutores dos cães sumissem do local. “Estou quase desesperada porque o meu forte aqui é o hotel e vários cancelaram viagens”, alega. Para sair dessa possível crise, Ana já pensou em novas alternativas.

“Vamos aproveitar nosso mês de aniversário e fazer promoção para quem fechar pacote de daycare conosco e também dar desconto na diária do hotel. Mesmo que as pessoas não viajem mais, podem deixar os cachorros com a gente, brincando, fazendo atividades”, explica. Para quem está trabalhando em casa, também podem ficar tranquilos. O hotel/creche também vai receber os animais tranquilamente.

Caso o tutor deixe o cão no local, Ana alerta sobre a higienização das coleiras e guias, assim como nas mãos na hora do contato ao pegar o pet.

O Jornal Midiamax preparou uma lista com as atividades suspensas até o momento. Esta lista estará em frequente atualização.

Jornal Midiamax