Cotidiano

VÍDEO: Mais uma dona de casa encontra meleca no molho de tomate em MS

Outro caso de corpo estranho em molho de tomate da Fugini, foi registrado nesta quinta-feira (17), em Campo Grande. O primeiro ocorreu no último dia 6 quando uma família encontrou uma substância que parecia ser um pedaço de carne dentro de um sachê da mesma marca. De acordo com a dona de casa Keila Catarino […]

Ana Paula Chuva Publicado em 17/10/2019, às 15h10 - Atualizado em 18/10/2019, às 08h28

Corpo estranho encontrado dentro da embalagem nesta quinta-feira. WhatsApp
Corpo estranho encontrado dentro da embalagem nesta quinta-feira. WhatsApp - Corpo estranho encontrado dentro da embalagem nesta quinta-feira. WhatsApp

Outro caso de corpo estranho em molho de tomate da Fugini, foi registrado nesta quinta-feira (17), em Campo Grande. O primeiro ocorreu no último dia 6 quando uma família encontrou uma substância que parecia ser um pedaço de carne dentro de um sachê da mesma marca.

De acordo com a dona de casa Keila Catarino de Oliveira, o produto foi adquirido há 1 semana em um supermercado na região do bairro Coophavila II e teria sido aberto apenas nesta quinta-feira na hora de preparar o almoço.

“Eu comprei há uma semana, abri neste momento para fazer o almoço e encontrei essa coisa que parece um pedaço de carne, exatamente igual a situação da outra família. Perdi a panela de comida, porque estava despejando o molho nela quando caiu isso que parece um pedaço de carne”, explicou.

Vale destacar que apesar de serem da mesma marca, os produtos são de lotes e validade diferentes, mas ambos dentro do prazo indicado e no caso da dona de casa Keila o produto não teria sido aberto antes.

VÍDEO: Mais uma dona de casa encontra meleca no molho de tomate em MS

No primeiro caso a empresa chegou a alegar que poderia ter acontecido por uma avaria na embalagem ou até mesmo o condicionamento na geladeira, e descartou a possibilidade de um problema no lote do produto.

Já sobre a situação ocorrida nesta segunda-feira, ao Jornal Midiamax, a empresa pediu que a consumidora entrasse em contato para avaliar o que pode ter acontecido.

Veja o vídeo: 

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

* Matéria editada às 115h55 para acréscimo de resposta.

Jornal Midiamax