Cotidiano

Trabalhadores de construtoras civis anunciam paralisação nesta sexta-feira

Também fazendo parte da greve geral dos trabalhadores, funcionários de três das maiores construtoras civis de Campo Grande anunciaram que vão paralisar expediente nesta sexta-feira (14), dia da Greve Geral no país. Funcionários das empresas como Plaenge, Vanguard e MRV vão paralisar. Conforme o presidente do Sintracom-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil), José Ab...

Mariane Chianezi Publicado em 13/06/2019, às 15h00 - Atualizado às 15h05

Foto: Ilustração
Foto: Ilustração - Foto: Ilustração

Também fazendo parte da greve geral dos trabalhadores, funcionários de três das maiores construtoras civis de Campo Grande anunciaram que vão paralisar expediente nesta sexta-feira (14), dia da Greve Geral no país. Funcionários das empresas como Plaenge, Vanguard e MRV vão paralisar.

Conforme o presidente do Sintracom-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil), José Abelha, uma manifestação deverá acontecer no maior canteiro de obras, atualmente, em Campo Grande.

“Os cerca de 5 mil trabalhadores da construção civil vão aderir à Greve Geral convocada pelas Centrais Sindicais, Antes mesmo da concentração na praça do Rádio Clube marcada para às 9h, haverá manifestação em um dos maiores canteiros de obras da capital”, afirmou. O canteiro fica localizado na Rua Brasilândia, 975 no Bairro Tiradentes, e cerca de 150 pessoas trabalham em obra da MRV.

A Greve foi marcada para protestar contra a Reforma da Previdência, por investimentos e geração de empregos. “Nosso segmento é um dos mais atingidos pela falta de investimentos. “A cada real investido na construção civil são gerados três em outros setores. Nós somos um dos alicerces da economia e até agora o governo não tomou nenhuma medida eficaz para retomar os investimentos”, explica Abelha.

Greve Geral nos trending topics do Twitter

Um tuitaço em apoio à greve geral marcada por sindicatos, partidos e entidades estudantis para a sexta-feira (14) fez a #SextaTemGreve ascender à lista dos assuntos mais publicados do Twitter brasileiro no começo da tarde desta quarta-feira, 12.

A hashtag tem sido impulsionada por parlamentares de oposição, especialmente dos partidos PT, PDT e PSOL, além dos perfis da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da União Nacional dos Estudantes (UNE). Às 14h50, a #SextaTemGreve era a quinta colocada na lista das dez expressões mais postadas. Segundo a ferramenta Google Trends, a pesquisa por “greve geral” atingiu o pico do último ano às 13h desta quarta.

Em São Paulo, sindicatos de ferroviários, metroviários e motoristas de ônibus já confirmaram que vão aderir à paralisação apesar do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) terem conseguido liminares na Justiça contra a greve. “A gente contesta isso na Justiça depois. A greve está mantida”, disse um funcionário do Sindicato dos Ferroviários.

Jornal Midiamax