Cotidiano

Obras de asfalto e drenagem começam em 2020 e devem custar R$ 51 milhões

O projeto da Nova Campo Grande que tem como objetivo a drenagem asfáltica de pavimentação foi apresentado nesta quarta-feira (18). Para dar início das obras, a Prefeitura tem recurso assegurados do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A obra terá desdobramentos como a pavimentação de […]

Vinícius Costa Publicado em 18/12/2019, às 17h00 - Atualizado em 19/12/2019, às 09h22

Foto: Vinícius Costa, Midiamax
Foto: Vinícius Costa, Midiamax - Foto: Vinícius Costa, Midiamax

O projeto da Nova Campo Grande que tem como objetivo a drenagem asfáltica de pavimentação foi apresentado nesta quarta-feira (18). Para dar início das obras, a Prefeitura tem recurso assegurados do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

A obra terá desdobramentos como a pavimentação de aproximadamente 20 km, recapeamento de 9 km e 16 km de drenagem que deve custar em torno de R$ 51 milhões. Além disso, será construída uma ponte sobre o Córrego Imbirussu.

“A gente está entregando os projetos para análise da Caixa Econômica Federal e assim termos a autorização para o processo de licitação”, palavras de Rudi Fioresi, secretário da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos).

A obra é uma reivindicação muito antiga dos moradores, já que o bairro é um dos mais antigos de Campo Grande. O prefeito Marquinhos Trad acredita que em até 30 dias terá o aval da Caixa e consequentemente dar o início ao processo licitatório das etapas A e B.

“Depois que concluirmos as duas etapas iniciais, nós vamos em busca de novos recursos para as etapas C e D”, palavras do prefeito.

Evandro Narciso Filho, superintendente regional da Caixa em MS, detalhou que os recursos são liberados de forma parcial e em etapas. Ele afirmou que a equipe técnica vai verificar o projeto e sua conformidade e estando ‘ok’, libera o projeto para a licitação.

Obras de asfalto e drenagem começam em 2020 e devem custar R$ 51 milhões
Foto: Vinícius Costa, Midiamax

*Colaborou: Mariane Chianezi

Jornal Midiamax