Cotidiano

Há 4 anos sem reajuste salarial, militares criam movimento para dialogar com governo

Durante reunião da Aspra-MS (Associação de Praças da Policia Militar e Bombeiros Militares), os representantes discutiram a negociação salarial de 2019, já que a classe está há mais de 4 anos sem reajuste. De acordo com o presidente da associação, o cabo PM Eduardo Ferreira, as entidades classistas da PM e bombeiros, protocolaram no dia […]

Cleber Rabelo Publicado em 06/04/2019, às 20h28

Foto: (Reprodução/Aspra-MS)
Foto: (Reprodução/Aspra-MS) - Foto: (Reprodução/Aspra-MS)

Durante reunião da Aspra-MS (Associação de Praças da Policia Militar e Bombeiros Militares), os representantes discutiram a negociação salarial de 2019, já que a classe está há mais de 4 anos sem reajuste.

De acordo com o presidente da associação, o cabo PM Eduardo Ferreira, as entidades classistas da PM e bombeiros, protocolaram no dia 12 de março, um ofício solicitando audiência com o governador Reinaldo Azambuja, mas até o momento, não há resposta do poder executivo.

“Diante da inércia do governo estadual, optamos por traçar uma nova estratégia de sensibilização do governo para a negociação salarial que acontece na data base de maio. Decidimos somar nossos esforços e, em breve, lançaremos um movimento, cujo o objetivo é mais uma tentativa de as associações demonstrarem ao governo, união e força”, afirma.

A ação conjunta se chama ‘Movimento União das Associações Militares de MS’, o lançamento está marcado para 12 de abril, às 9h. “Nós queremos abrir um canal de diálogo com o chefe do executivo estadual e assim chegarmos a um entendimento plausível para a construção de uma política salarial mais humana, verdadeira e efetiva para os militares estaduais”, disse.

Jornal Midiamax