Cotidiano

Em 7 meses, Capital quase supera o total de flagrados dirigindo bêbados em 2018

Apesar de ainda faltar cinco meses para acabar o ano, o número de flagrantes a motoristas bêbados ao volante preocupa. Isso porque em 7 meses, Campo Grande quase supera o total de flagrados dirigindo bêbados em 2018. Conforme dados da BPTran (Batalhão de Polícia de Trânsito), em 2018 foram 1.141 flagrantes de motoristas que estava […]

Mariane Chianezi Publicado em 01/08/2019, às 14h24 - Atualizado às 14h42

None
lei-seca-bafometro.jpg

Apesar de ainda faltar cinco meses para acabar o ano, o número de flagrantes a motoristas bêbados ao volante preocupa. Isso porque em 7 meses, Campo Grande quase supera o total de flagrados dirigindo bêbados em 2018.

Conforme dados da BPTran (Batalhão de Polícia de Trânsito), em 2018 foram 1.141 flagrantes de motoristas que estava dirigindo bêbados, enquanto em 2019, já são 1.114 infrações. Os dados são somente de alcoolemia e não diferenciam se houve ou não prisão.

Em gráfico divulgado pelo batalhão ao Jornal Midiamax, mostra que o mês em que aconteceram mais infrações foi em março, quando 295 motoristas foram surpreendidos em blitzes. Em março de 2019 houve o maior número de autuações nos últimos três anos.

Os dados também mostram que os maiores flagrantes aconteceram nos finais de semana, principalmente nos sábados. Neste ano, 368 motoristas foram flagrados dirigindo bêbados aos sábados, enquanto em 2018, o número foi de 393.

No último sábado (27), inclusive, a BPTran realizou blitzes em dois pontos da cidade e no total, foram 60 veículos abordados e 79 testes do bafômetro feito.  Além disso, 18 motoristas foram autuados por se recusarem a fazer o teste e 2 foram multados por estarem embriagados. Um rapaz de 26 anos foi preso em flagrante.

Segundo a BPTran, a blitz faz parte de uma operação para fiscalizar, principalmente, os motoristas que saem dos bares localizados no Centro. Na madrugada do último fim de semana, a operação aconteceu na Avenida Afonso Pena, perto do cruzamento com a Rua Padre João Crippa, e na Avenida Costa e Silva, nas proximidades da UFMS.

A BPTran explicou que os dois motoristas multados não foram presos na ocasião pois o teste do bafômetro apontou 0.32 mg/l de álcool no sangue, e o necessário para dar prisão em flagrante é acima dos 0.34 mg/l.

Jornal Midiamax