Cotidiano

Dois meses antes: Prefeitura conclui obras nos lagos do Parque das nas Nações

O serviço de desassoreamento dos lagos do Parque das Nações foi concluído nesta quinta-feira (15), dois meses antes do cronograma anunciado pela Prefeitura. Foram retirados ao todo 135 mil metros de areia em 12,5 mil viagens de caminhão até o local de descarte nos fundos do Cetremi (Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante e […]

Ana Paula Chuva Publicado em 15/08/2019, às 14h22 - Atualizado às 17h33

(Denilson Secreta, PMCG)
(Denilson Secreta, PMCG) - (Denilson Secreta, PMCG)

O serviço de desassoreamento dos lagos do Parque das Nações foi concluído nesta quinta-feira (15), dois meses antes do cronograma anunciado pela Prefeitura. Foram retirados ao todo 135 mil metros de areia em 12,5 mil viagens de caminhão até o local de descarte nos fundos do Cetremi (Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante e População de Rua), em Campo Grande. 

De acordo com as informações, o que sobrou no lado foi o piso compactado que tem de 3 a 5 metros de profundidade e não pode ser retirado já que está sobre um solo brejoso natural. Os filetes de água que podem ser vistos em toda sua extensão são o leito natural do Córrego Prosa.

O acabamento do serviço com: nivelamento de alguns pontos, replantio de grama nos taludes, reparos em meio fio e aplicação de capa asfáltica nas cabeceiras das pontes de travessia, devem ser realizados na próxima semana.

Ainda de acordo com a Prefeitura, terminada esta fase, o lago será entregue oficialmente ao Imasul (que gerencia o Parque das Nações), para reparos nas paredes de gabião no entorno do espelho d’água e fechamento das comportas. Após isso, em dois dias o lago estará cheio, com 250 mil metros cúbicos de água retidos do Córrego Prosa.

Areia retirada

O lago principal do parque se espalha por 5 hectares e dele foram retirados a maior parte da areia, aproximadamente 115 mil metros cúbicos, 11 mil viagens de caminhão. No lago menor o trabalho durou apenas duas semanas, e foram retirados 15.474 metros cúbicos de areai, com 1,5 mil viagens de caminhão.

Para concluir o serviço antes do prazo foi montada uma força-tarefa que mobilizou 50 trabalhadores e 44 equipamentos (entre caminhões e máquinas).

Segundo a Prefeitura, a recuperação dos lagos do Parque das Nações Indígenas exigirá um investimento de R$ 8 milhões, sendo R$ 5 milhões do Municipio e R$ 3 milhões do Governo do Estado. 

Córrego Réveillon

Vale ressaltar que, para evitar novo assoreamento, com o carreamento de areia junto com a enxurrada que desce dos bairros do entorno do Parque dos Poderes, serão executados dois projetos nos córregos Réveillon e Joaquim Português, cujas águas formam o lago.

No Réveillon, será implantado um piscinão, inicialmente projetado para armazenagem de 22 mil metros cúbicos de água. No Joaquim Português, o Governo do Estado vai executar obras de controle de erosão e replantio da vegetação nas margens. Os projetos já estão sendo contratados e a licitações devem ocorrer até dezembro de 2019.

Jornal Midiamax