Cotidiano

Conta de Luz: 300 vereadores de todo MS vão se reunir para discutir ‘aumento abusivo’

Com reclamações de aumentos abusivos na conta de energia em vários municípios sul-mato-grossenses, vereadores de todo o Estado vão se reunir em Campo Grande e unificar abaixo-assinados para questionar a concessionária responsável pelo serviço, a Energisa. De acordo com o vereador Valdir Gomes (PP), pelo menos 300 vereadores, espalhados pelas 79 Câmaras Municipais de Mato […]

Ludyney Moura Publicado em 05/02/2019, às 12h36 - Atualizado às 14h41

Valdir Gomes durante audiência pública na Câmara de Vereadores. (Marcos Ermínio, Midiamax)
Valdir Gomes durante audiência pública na Câmara de Vereadores. (Marcos Ermínio, Midiamax) - Valdir Gomes durante audiência pública na Câmara de Vereadores. (Marcos Ermínio, Midiamax)

Com reclamações de aumentos abusivos na conta de energia em vários municípios sul-mato-grossenses, vereadores de todo o Estado vão se reunir em Campo Grande e unificar abaixo-assinados para questionar a concessionária responsável pelo serviço, a Energisa.

De acordo com o vereador Valdir Gomes (PP), pelo menos 300 vereadores, espalhados pelas 79 Câmaras Municipais de Mato Grosso do Sul, já confirmaram presença na reunião. Outros 500 parlamentares também foram convidados.

Valdir revelou que a Mesa Diretora da Câmara de Campo Grande tenta uma reunião com o presidente da Energisa para o dia 20 de fevereiro, quando também está programa, para as 14 horas, a mobilização para cobrar respostas do presidente da concessionária, Marcelo Vinhaes Monteiro, sobre os aumentos excessivos nas contas de energia elétrica.

Gomes ocupou a tribuna da Câmara para convidar todos os vereadores e deputados estaduais para participar desse encontro na Casa de Leis. A ideia é também elaborar documento com as queixas e as irregularidades constatadas para serem repassadas à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O vereador falou que, mesmo a questão da Energisa não se tratando de atribuição municipal, está prejudicando os campo-grandenses e, por isso, avalia que os parlamentares da Capital devem cobrar responsabilidades.

Jornal Midiamax