Cotidiano

Com previsão para encerrar nesta quarta-feira, estudantes mantém ocupação na UFMS

Cerca de 200 estudantes mantém a ocupação de unidade da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), na noite desta terça-feira (14). A previsão é que a manifestação termine nesta quarta-feira (15), dia em que está anunciado uma greve geral na educação pública nacional. Outros assuntos como privatizações e reforma da Previdência também estão […]

Mariane Chianezi Publicado em 14/05/2019, às 18h40

Foto: Leonardo de França
Foto: Leonardo de França - Foto: Leonardo de França

Cerca de 200 estudantes mantém a ocupação de unidade da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), na noite desta terça-feira (14). A previsão é que a manifestação termine nesta quarta-feira (15), dia em que está anunciado uma greve geral na educação pública nacional. Outros assuntos como privatizações e reforma da Previdência também estão na pauta.

Segundo aluna, na noite desta terça-feira haverá atividades culturais e os alunos deverão permanecer a postos. A unidade seis, onde estão os alunos, abriga cursos como Psicologia, Ciências Sociais, Filosofia, História, Nutrição, Veterinária, Medicina e Educação Física.

No final de abril, o MEC (Ministério da Educação) anunciou um corte de 30% dos repasses às universidades federais.  Já o Governo Federal, se refere aos cortes como “contingenciamento”. O Ministério da Educação informou “que o critério utilizado para o bloqueio de dotação orçamentária foi operacional, técnico e isonômico para todas as universidades e institutos”.

Segundo a pasta, foram bloqueados R$ 7,4 bilhões do total de R$ 23,6 bilhões de despesas não obrigatórias. No total, o orçamento anual do MEC, incluindo gastos obrigatórios, é R$ 149 bilhões.

Pedido de apoio

O estudante Mateus Prado, acadêmico de Ciências Políticas e Sociais da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) usou a tribuna da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) nesta terça-feira (14) para pedir apoio ao Ensino e se posicionar contra o corte de verbas para as instituições.

“Repudiamos veemente os ataques que estamos sofrendo do Governo Federal com o corte de recursos para as universidades, que irá atingir bolsas de estudos e até manutenção e infraestrutura das instituições”, informou o acadêmico, que utilizou o espaço por solicitação do deputado estadual Pedro Kemp (PT).

“Jovens e adultos destinam parte de seu tempo para adquirir conhecimento e fazer pesquisas, auxiliando no desenvolvimento do Brasil. O dinheiro público está sendo bem utilizado na promoção do ensino e desenvolvimento de pesquisas nas mais diversas áreas”.

Jornal Midiamax