Cotidiano

Ciclista é impedido de se abrigar da chuva em posto e vídeo viraliza

Um vídeo que viralizou nesta quarta-feira (16) mostra pelo menos dois ciclistas sendo “expulsos” pela proprietária de um posto de combustível, após usar a cobertura do local para se proteger da chuva que caiu durante a noite desta terça-feira (15), na Avenida do Poeta, região do Parque dos Poderes, em Campo Grande. Como forma de […]

Vinícius Costa Publicado em 16/10/2019, às 16h38 - Atualizado em 17/10/2019, às 10h51

Ciclista foi impedido de se proteger da chuva. (Foto: Reprodução, Midiamax)
Ciclista foi impedido de se proteger da chuva. (Foto: Reprodução, Midiamax) - Ciclista foi impedido de se proteger da chuva. (Foto: Reprodução, Midiamax)

Um vídeo que viralizou nesta quarta-feira (16) mostra pelo menos dois ciclistas sendo “expulsos” pela proprietária de um posto de combustível, após usar a cobertura do local para se proteger da chuva que caiu durante a noite desta terça-feira (15), na Avenida do Poeta, região do Parque dos Poderes, em Campo Grande.

Como forma de protesto, um grupo de ciclistas promete um ato contra a empresária no próximo sábado (19). Denominado como “O melhor boicote é a presença”, o grupo de ciclistas pretendem reunir pelo menos 200 pessoas no posto em que aconteceu o incidente.

O Jornal Midiamax entrou em contato com uma das pessoas envolvidas que aparece no vídeo. Hugo Bega Nakamura, de 26 anos, é formado em direito e tem como hobby, o ciclismo. Neste ano, em uma das competições que disputou, conseguiu o vice-campeonato do brasileiro de ciclismo.

“Eu estava treinando como sempre faço na região, junto com alguns colegas e começou uma garoa fina, mas a gente continuou com o treino. Quando a chuva engrossou, resolvemos encostar ali embaixo do posto para poder se proteger da chuva e nisso já tinha outros ciclistas no outro canto. Questão de três minutos, a senhora saiu de dentro do estabelecimento meio que tocando a gente, igual quando toca cachorro”, disse.

Hugo destacou a falta de educação por parte da proprietária que se intitulou como dona e empresária do estabelecimento. “Total falta de educação, grosseria, tocando o pessoal. Ela veio para o meu lado e eu disse que não ia me retirar porque estava me protegendo da chuva e que na hora que a chuva acalmar, eu iria sair”.

O incidente deixou o ciclista bastante constrangido. De acordo com Hugo, nunca pensou que passaria por algo desse tipo, porque segundo ele, treina de duas a três vezes na semana na região. “Eu me senti ofendido, porque no meio de todo mundo, a pessoa chegar te tratando daquela forma”.

Apesar da situação, Hugo que é formado em direito, não pensa em entrar com uma representação contra a proprietária do estabelecimento. “Eu acho que não. Não vou perder tempo com esse tipo de situação, porque isso a vida mesmo ensina para a pessoa”.

O outro lado

Anteriormente procurada pela reportagem, a empresária por meio de e-mail resolveu esclarecer algumas situações sobre o ocorrido na noite desta terça-feira (15). De acordo com a proprietária, “as imagens são claras ao demonstrar que os ciclistas pretendiam permanecer em uma área destinada a entrada, saída e circulação de veículos, onde não é permitida a permanência de pedestres”.

“Assim como também é possível perceber nas imagens que os ciclistas foram orientados sobre a impossibilidade de permanecer no pátio de abastecimento do posto por vedação legal, devendo dirigirem-se para a varanda coberta existente no local. Ademais, é importante ressaltar que se tratar de um estabelecimento particular e não uma extensão do Parque dos Poderes, logo possui as suas normas internas de segurança que devem ser observadas por seus consumidores”.

Ainda em nota, a empresa da proprietária afirma que a zona em que os ciclistas estavam é descrita na legislação especial para o tipo de atividade comercial como “zona de alto risco”.

Matéria atualizada às 17h50 para acréscimo de informação.

Jornal Midiamax