Cotidiano

Caminhoneiros autônomos chegam ao 9º dia de greve com seis pontos de bloqueios em MS

Apesar do acordo fechado com o governo federal, os caminhoneiros autônomos de Mato Grosso do Sul mantêm os protestos cobrando do governo estadual uma redução do ICMS. No 9º dia de greve, eles se concentram em seis pontos de bloqueio no Estado e fazem protestos em 67 trechos de rodovias estaduais e federais. Nesta segunda-feira […]

Mariane Chianezi Publicado em 29/05/2018, às 07h43 - Atualizado às 11h36

Caminhoneiros pedem a redução no valor dos combustíveis e não só do diesel, afirma sindicato. (Foto: Marcos Ermínio)
Caminhoneiros pedem a redução no valor dos combustíveis e não só do diesel, afirma sindicato. (Foto: Marcos Ermínio) - Caminhoneiros pedem a redução no valor dos combustíveis e não só do diesel, afirma sindicato. (Foto: Marcos Ermínio)

Apesar do acordo fechado com o governo federal, os caminhoneiros autônomos de Mato Grosso do Sul mantêm os protestos cobrando do governo estadual uma redução do ICMS. No 9º dia de greve, eles se concentram em seis pontos de bloqueio no Estado e fazem protestos em 67 trechos de rodovias estaduais e federais.

Nesta segunda-feira (28), a Abcam assinou acordo com o Governo Federal para que caminhoneiros voltassem a trabalhar, mas trabalhadores de MS afirmaram que vão continuar com greve.

Conforme o Sindicam-MS (Sindicado dos Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul), a paralisação continua nesta terça-feira (29). “Continuamos da mesma forma, continua igual o movimento. Os caminhoneiros só deixaram as rodovias assim que ver o impacto nas bombas”, disse Roberto Sinai, referenciando a proposta aceita pela Abcam sobre a redução em R$ 0,46 no preço do diesel.

Após a divulgação oficial do acordo da entidade com o governo, o Jornal Midiamax foi até um dos pontos de bloqueio na BR-262, em Campo Grande, aonde motoristas afirmaram só voltaram aos trabalhos depois que o governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) reduzir o ICMS sobre o óleo diesel de 17% apara 12%.

Somente

Aos poucos, voltando à rotina

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o número de caminhoneiros manifestantes diminuíram, mas os pontos de bloqueios ainda continuam.

Nesta segunda-feira (28) caminhões com combustível, gás de cozinha, produtos alimentícios, perecíveis, carga de frango, hortifrúti, saíram dos pontos de bloqueios e seguiram viagem.

Ainda conforme a PRF, a manifestação está perdendo o caráter ‘caminhoneiro’, pois outras entidades e categorias estão aderindo à paralisação. “Outras entidades, outras pessoas estão tomando corpo nessa manifestação. Em Sidrolândia, havia um ponto de bloqueio, mas não tinha caminhoneiro nenhum”, afirmou PRF por meio de porta-voz.

Posteriormente, a via teria sido desobstruída. Os caminhoneiros, aos poucos, estão retomando o trabalho nas rodovias do Estado.

Jornal Midiamax