Cotidiano

Milhares de pessoas protestam na fronteira após morte de estudante

Um protesto pedindo o fim da violência contra a mulher reuniu milhares de pessoas em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, durante a tarde da última quinta-feira (23). Com gritos de ordem, estudantes e moradores pediram justiça às vítimas de feminicídio na região. Em frente às faculdades, Ministério Público e Palácio da Justiça, […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 24/08/2018, às 12h59 - Atualizado às 14h33

Foto: Porã News
Foto: Porã News - Foto: Porã News

Um protesto pedindo o fim da violência contra a mulher reuniu milhares de pessoas em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, durante a tarde da última quinta-feira (23).

Com gritos de ordem, estudantes e moradores pediram justiça às vítimas de feminicídio na região. Em frente às faculdades, Ministério Público e Palácio da Justiça, os manifestantes ordenavam “nenhuma mais”.

Conforme publicado pelo site Porã News, o ato foi acompanhado pelo governador do Estado de Amambay, Ronald Acevedo, e pelo prefeito de Pedro Juan Caballero, Jose Carlos Acevedo.

As autoridades também deram apoio aos pais da estudante de medicina Erika de Lima Corte, morta com 16 golpes de punhal, na última segunda-feira (20).

O protesto também cobrava uma posição da Justiça contra a liberdade de Christopher Andrés Romero Irala, principal suspeito de ter cometido o crime. O eletricista estava foragido, desde 2014, após ser condenado pela morte de outra mulher na fronteira em 2012.

Jornal Midiamax