Cotidiano

Gás de cozinha já falta em 95% das revendedoras e estoque durá só até amanhã

O gás de cozinha deverá faltar aos campo-grandenses já a partir desta quarta, de acordo com o Sindicato do Gás de Mato Grosso do Sul. O estoque atual é de apenas 5% da capacidade, segundo afirmou Vilson de Lima, presidente da entidade.

Guilherme Cavalcante Publicado em 29/05/2018, às 10h21 - Atualizado em 08/06/2018, às 17h24

(Foto ilustrativa | Reprodução)
(Foto ilustrativa | Reprodução) - (Foto ilustrativa | Reprodução)

O gás de cozinha deverá faltar aos campo-grandenses já a partir desta quarta, de acordo com o Sindicato do Gás de Mato Grosso do Sul. O estoque atual é de apenas 5% da capacidade, segundo afirmou Vilson de Lima, presidente da entidade.

“Enquanto durar a greve e houver pontos de bloqueio, não teremos como abastecer as residências, já que está tudo bloqueado nas estradas. Nossa expectativa é que amanhã as distribuidoras já não tenham o produto”, afirma.

Apesar de não ter previsão de quando o abastecimento poderá ser normalizado, o sindicato afirma que não será observado aumento do gás de cozinha. O preço médio no início das manifestações girava em torno de R$ 75,00.

Em falta

Em cidades do interior, a falta do gás de cozinha, em decorrência da greve, já é uma realidade. Nesta terça-feira (29), moradores de Coxim, a 253km da Capital, já não há o produto à venda.

Um caminhão carregado com botijões estaria parado próximo a Rio Verde em um dos bloqueios e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) tenta liberar o caminhão. Um princípio de tumulto teria acontecido quando o caminhão tentou deixar o ponto de bloqueio.

Jornal Midiamax