Cotidiano

Enchente deixou estragos de R$ 8 milhões, segundo Prefeitura de Bonito

Pecuária, agricultura e turismo foram os setores mais prejudicados

Mylena Rocha Publicado em 27/02/2018, às 11h11 - Atualizado em 14/07/2020, às 11h44

None

Pecuária, agricultura e turismo foram os setores mais prejudicados

O município de Bonito, a 300 km de Campo Grande, calcula um estrago de cerca de R$ 8 milhões com as enchentes até esta terça-feira (27). No setor público, são R$ 2.400.000,00 (dois milhões e quatrocentos mil reais) de danos em pontes, estradas e redes de drenagem. Na área privada, são estimados cerca de R$ 8 milhões na agricultura, pecuária e atrações turísticas.

As informações são do coordenador da Defesa Civil de Bonito, Alexandre Ferro. “Tínhamos feito esse levantamento com o sistema da defesa civil e já fizemos o Fide (formulário de informação de desastre). A cidade está tranquila, os estragos estão na área rural”, afirma. A área atingida pela enchente foi o distrito Águas do Miranda, banhado pelo rio que sofreu alagamento na última sexta-feira (23). Bonito decretou situação de emergência ainda na quarta-feira (21), quando 60 famílias de Águas do Miranda foram desabrigadas. Enchente deixou estragos de R$ 8 milhões, segundo Prefeitura de Bonito

De acordo com a Defesa Civil do município, ainda chove em Bonito e o rio Miranda ainda pode elevar o nível, mas as famílias não correm riscos. Nas últimas 24 horas, duas famílias já conseguiram voltar para suas casas e 58 ainda aguardam. “Até ontem já tinha baixado 2 metros no nível do rio, ainda deve chover, mas as famílias se preparam para retornar”, conta.

Ação solidária

A Secretaria de Assistência Social promove campanha para arrecadação de donativos para as famílias afetadas pelas cheias. Doações de roupas, produtos de limpeza e higiene pessoal, itens de cama e banho e utensílios domésticos podem ser encaminhados para a SAS (Secretaria de Assistência Social) na rua Santana do Paraíso, 865 (prédio anexo à Prefeitura). Informações nos telefones (67) 3255-2215 e (67) 3255-1949.

Jornal Midiamax