Cotidiano

Aquidauana, Bela Vista e Bonito já têm cerca de 70 famílias desabrigadas

Os municípios estudam declarar situação de emergência 

Mylena Rocha Publicado em 21/02/2018, às 13h07

None

Os municípios estudam declarar situação de emergência 

A Cedec (Coordenadoria Estadual da Defesa Civil) de Mato Grosso do Sul informou que os municípios de Aquidauana, Bonito e Bela Vista foram os mais atingidos pelas chuvas do últimos dias. Apesar da trégua nesta quarta-feira (21), as cidades estudam declarar situação de emergência devido ao número de desalojados.

Em Aquidauana, a 143 km de Campo Grande, o nível do rio que dá nome à cidade subiu ainda mais durante esta madrugada. Segundo o secretário de assistência social, Marco Chave, até a meia noite haviam 78 pessoas nos três abrigos criados pela Prefeitura. O coordenador da Defesa Civil de Aquidauana, Mario Ravaglia afirma que não é possível medir o nível do rio. “O rio já passou dos 10 metros e nossa régua já não mede mais, não tem como ver. A estimativa é que esteja entre os 11 e 12m de altura”, afirma. Boletim divulgado pela Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) nesta quarta-feira (21) afirma que o rio Aquidauana entrou em emergência ao atingir o segundo maior nível de cheias dos últimos 50 anos.

Os rios Miranda e Formoso causaram transtornos para famílias em Bonito, a 300 km da Capital. De acordo com o coordenador de Defesa Civil, Alexandre Ferro, na terça-feira (20), cerca de 15 famílias foram desalojadas na área urbana, mas já conseguiram voltar para suas casas. O coordenador explica que ao serem desalojados, os moradores saem de suas casas temporariamente por segurança e vão para casas de conhecidos, já os desabrigados têm que receber apoio da Prefeitura e podem até perder suas casas com os estragos. Ele afirma que nas áreas rurais o impacto é maior pela presença dos rios. “Na cidade, os córregos enchem temporariamente durante a chuva e logo voltam ao normal. Na área rural, a situação é mais difícil, pois são os rios Miranda e Formoso que enchem e demoram a abaixar o nível. Nestes locais, 30 famílias ainda estão desalojadas”.

Na cidade de Bela Vista, a 324 km da Capital, o alagamento do rio Apa desabrigou cerca de 15 famílias. Segundo o prefeito Reinaldo Piti (PSDB), o Exército e a Defesa Civil estão dando suporte às famílias. As aulas nas escolas foram adiadas para a segunda-feira (19). “Estamos em um estado de calamidade, devemos começar as aulas porque não dá pra adiar mais, mas não sabemos em que condições”, afirma. Estima-se que o nível do rio tenha subido cinco metros nos últimos dois dias. 

(Foto: O Pantaneiro)

Jornal Midiamax