Cotidiano

Suposto atraso no pagamento paralisa emissão de CNH mais uma vez

Não há previsão para que serviço seja normalizado

Midiamax Publicado em 05/10/2017, às 15h52

None

Não há previsão para que serviço seja normalizado

​Emissões de CNHs (Carteiras Nacionais de Habilitação) foram suspensas mais uma vez por suposto atraso de pagamento. No site do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) não há informações sobre o problema, que é confirmado por telefone. 

No teleatendimento a justificativa é de que a gráfica não está funcionando, no entanto, não há detalhes sobre o fato, ou previsão para que a situação seja normalizada. 

Em Campo Grande, os serviços de Habilitação são efetuados nas seguintes agências: Agência Regional (Detran sede), Agências Geraldo Garcia (Pátio Central Shopping) e Suzana Sgobbi (Shopping Campo Grande).

Usuários afirmam que o serviço foi interrompido na última terça-feira (3). Esta não é a primeira vez que a emissão de CNHs são suspensas.Em junho deste ano, as emissões foram paralisadas

O serviço é realizado pela ICE Cartões Especiais LTDA, empresa paulista responsável pela prestação de serviços de implantação, operação e manutenção de soluções integradas de produção de CNH e PID (Permissão Internacional para Dirigir).

A empresa mantém dois contratos entre a empresa e o Detran-MS, um de R$ 64 milhões, pactuado para serviços de vistoria e emplacamento de veículos, e o mais alto, de R$ 152 milhões, firmado em 2014 e vigente até 2019, para que sejam impressos os documentos.

Informações não confirmadas pelo Detran-MS ou pela ICE Cartões Especiais e pelo Detran-MS indicam que o órgão não realizou o repasse. 

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com as assessorias de comunicação da ICE e do Detran-MS para saber o posicionamento a respeito da suspensão de emissões e o prazo para que o serviço volte a funcionar, porém, até o fechamento deste texto não obteve reposta. 

Investigação –

A  empresa foi alvo de investigação pelo MPE (Ministério Público Estadual) em 2014, por “eventual irregularidade na terceirização do setor de vistoria e emplacamento do Detran-MS, e referidos serviços deveriam ser realizados por servidores de órgãos estaduais”.

Jornal Midiamax