Cotidiano

Falta de contrapartida impede asfalto para moradores que esperam há décadas

Promessas são antigas

Tatiana Marin Publicado em 03/05/2017, às 17h13

None
_mg_7242_interna.jpg

Promessas são antigas

Os moradores do bairro Nova Campo Grande, que fica na região oeste da capital, sonham há mais de 40 anos com uma pavimentação asfáltica decente e sistema de drenagem. As vias que receberam asfalto estão esburacadas e ficam alagadas quando chove e dirigir pelas ruas onde não há asfalto é o mesmo que participar de um verdadeiro rally. 

Inconformados com o descaso que atravessa várias gestões da Prefeitura de Campo Grande, moradores enviaram novamente reclamações à redação do Jornal Midiamax. As obras estão emperradas pelo problema financeiro da Prefeitura de Campo Grande, que necessita de R$ 8 milhões de contrapartida. Assista abaixo, vídeos enviados pelo WhatsApp. 

“Já faz muito tempo, esta com com um problema sério aqui. Está simplesmente impossível dirigir neste bairro. Estamos cansados com o descaso conosco. Nos foi prometido recapeamento, pavimentação, esgoto e sistema de escoamento de água. Já tem muito tempo, mas desde a mudança do prefeito da cidade, não temos mais notícias desse asfalto que nos foi prometido”, reclama Kleber Almeida de Souza, morador do bairro. 

Segundo ele, os maiores problemas estão justamente nas ruas que servem de linhas de ônibus. As piores ruas são as ruas Teófico Otoni, Emilia Teodora de Souza e Nilo Javari Barem, além da Avenida Nove que tem somente uma das vias asfaltada. “Nossos impostos estão pagos e isso que chamam de asfalto que temos aqui é uma vergonha”, desabafa.

Problema antigo

O problema do Nova Campo Grande é antigo e a promessa de pavimentação remonta a, no mínimo, quatro administrações anteriores, conforme os moradores José Carlos, 57 e Marinalva da Silva, 45, que moram na Rua 118.

“Só ficou na conversa. Esse lugar é esquecido. Máquina na rua só quando alguém paga. Tem os presidentes de bairro que já foram cobrar diversas vezes”, contou José, enquanto olhava a rua, perdida entre a poeira e o matagal. O morador não acredita que a administração da cidade irá encaminhar os projetos que estão paralisados. “Vão nada, R$ 7 bilhões é a dívida da Capital pelo que eu sei. Isso aí não vai ser feito nunca”.

Campo Grande tem R$ 497 milhões ‘parados’ na Caixa Econômica Federal. Parte desse recurso, que integra o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) é destinado à obras de pavimentação que estão paralisadas ou que ainda não começaram, como acontece no bairro Nova Campo Grande.

De acordo com o titular da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Rudi Fiorese, é necessário adiantar uma contrapartida de 10% do valor total da obra que, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, é de R$ 80 milhões, porém trâmite esbarra no problema financeiro. Segundo o secretário não há dinheiro e não há previsão para a quantia estar disponível. Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, a Prefeitura mantém  equipes de tapa-buraco no bairro.

Enquanto isso, os moradores do Nova Campo Grande sofrem com as condições precárias das ruas do bairro. Diversos problemas foram apontados por moradores ao Jornal Midiamax no passado. No mais receente, correntezas formadas por enxurradas levaram moradores a ‘navegarem’ de barco pelas ruas

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou denúncia ao WhatsApp da redação, no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Assista ao vídeo.

Jornal Midiamax