Cotidiano

Direitos humanos vai capacitar guardas municipais e PMs para combater transfobia

As ações serão ostensivas e preventivas

Diego Alves Publicado em 16/08/2017, às 02h13

None

As ações serão ostensivas e preventivas

Como forma de combater a transfobia e levar informações sobre direitos e deveres das travestis e transexuais, a Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos e da Coordenadoria Municipal de Políticas e Assuntos de Diversidade Sexual, realiza ação conjunta com o Centro de Referencia em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia (CentrHo), Polícia Militar de Mato  Grosso do Sul e Guarda Municipal de Campo Grande.Direitos humanos vai capacitar guardas municipais e PMs para combater transfobia

Com o projeto “Blitz Cidadã: Educando com Cidadania através dos Direitos Humanos”, a parceria entre as entidades vai promover os direitos humanos e a cidadania da população de travestis e transexuais em situação de prostituição nas ruas de Campo Grande.

As ações serão ostensivas e preventivas por parte da Segurança Pública. A PMMS e GCM irão participar da blitz levando informações sobre direitos e deveres das travestis e transexuais profissionais do sexo de rua. Ao mesmo tempo, farão repressão a crimes nestes locais. Os agentes também serão orientados sobre o tratamento dispensados a elas.

Coordenadora municipal de Políticas e Assuntos de Diversidade Sexual, Cris Stefanny revela que um estudo da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) apontou que apenas 1% das travestis e transexuais conseguem entrar no mercado formal de trabalho. “Noventa e nove por cento estão na prostituição no Brasil. Ainda que elas queiram arranjar um emprego com rotina, horário de trabalho e carteira assinada, o preconceito fica evidente quando elas se candidatam a uma vaga, isso também em Campo Grande, daí a importância do projeto”, esclarece.

Serão realizadas atividades de capacitação e oficinas com agentes da Policia Militar e Guarda Municipal para saberem fazer o atendimento em relação a questão de gênero e também será distribuído material educativo para levar a questão de direitos e deveres das travestis e profissionais do sexo.

As medidas foram definidas nesta terça feira (15). Participaram da reunião a coordenadora municipal de Políticas e Assuntos de Diversidade Sexual, Cris Stefanny, o subsecretário de Estado de Políticas Públicas LGBT, Frank Rossate da Cunha, o subcomandante da Guarda Municipal, Valmir F. da Silva e o comandante-geral da Policia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel QOPM Waldir Ribeiro Acosta.

Jornal Midiamax