Cotidiano

De 150, apenas 87 rescisões de demitidos da Seleta são liberadas

Prefeitura diz que espera documentações

Midiamax Publicado em 02/08/2017, às 13h20

None

Prefeitura diz que espera documentações

Divergências em relação ao pagamento de ex-funcionários da Seleta (Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária), contratados por meio de convênio com a Prefeitura de Campo Grande continuam. Das 150 rescisões que estavam agendadas, apenas 87 foram liberadas.

Presidente do Senalba-MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado, Maria Joana Barreto Pereira, não soube informar o motivo pelo qual as outras rescisões não foram autorizadas.

“Não sabemos o que aconteceu. Liberaram apenas 87 e já estamos fazendo”, afirma. As rescisões são referentes às demissões ocorridas entre os dias 20 e 30 de julho. Os pagamentos serão liberados a partir de hoje  e seguem até sexta-feira (30). 

Sobre as demais rescisões, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) justifica não ter recebido todas as documentações. “As rescisões passam pela Semed [Secretaria Municipal de Educação], vão para a Prefeitura e voltam para as instituições que fazem os acertos. O dinheiro vai direto para a conta das entidades e estamos demandando conforme os ritos. Dependemos deles [instituições] liberarem as documentações”, explica.

De 150, apenas 87 rescisões de demitidos da Seleta são liberadas

Jornal Midiamax

Pagamento de rescisões –

Rescisões que estavam agendadas para os dias 21 e 23 de julho foram canceladas sem que o motivo fosse informado aos funcionários demitidos. Na ocasião, a presidente do Senalba disse que a Prefeitura não havia repassado os valores para a Seleta. 

Também  na última semana o prefeito disse que a Prefeitura não tem dinheiro suficiente para pagar todas as rescisões contratuais e que a previsão é de que os pagamentos sejam concluídos em até cinco meses.

Conforme informações do Senalba ao menos mil trabalhadores da Seleta e Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) já deveriam ter recebido. 

Jornal Midiamax