Cotidiano

Conferência na OAB-MS analisa situação do sistema penal brasileiro e debate alternativas

Começou na noite desta quinta

Diego Alves Publicado em 07/07/2017, às 22h29

None

Começou na noite desta quinta

A Conferência Estadual de Execução Penal e Justiça Restaurativa, promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) da Ordem do Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), começou na noite desta quinta-feira (06). Conferência na OAB-MS analisa situação do sistema penal brasileiro e debate alternativas

O Presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche, fez a abertura solene juntamente com o Presidente da CCDH, Christopher Scapinelli e a Doutora em Educação pela UFMS e Conselheira do Conselho Regional de Psicologia de Mato Grosso do Sul, Beatriz Flandoli Xavier. 

Em seu discurso, Mansour agradeceu a presença de todas as autoridades e colegas presentes, e destacou o papel da Ordem como intermediadora entre os anseios da sociedade e o Poder Público. “Quero agradecer a todas as autoridades que se engajaram em estar presentes nesta Conferência. Um evento com um tema tão sensível para nós da Ordem dos

Advogados do Brasil, talvez uma das maiores defensoras dos Direitos Humanos no Estado brasileiro. Esta Instituição tem mais de 86 anos de luta pelo jovem Brasil, e sempre foi protagonista de vários temas onde o Estado não chegou. Esta Conferência que estamos realizando é um exemplo disto”. 

Segundo o Presidente da OAB/MS, a instituição tem um papel transformador por meio da renovação de ideias. “O Brasil é composto de homens e mulheres com muita criatividade, que tem responsabilidade de fazer um país melhor. Nós, como advogados, somos porta-vozes dos anseios da sociedade civil”, concluiu Mansour. 
Também estarão presentes no evento, o Juiz de Direito da Vara de Execuções Penais de Joinville, João Marcos Buch; a Desembargadora do Tribunal de Justiça de São Paulo, Kenarik Boujikian; o representante da Coordenação de Alternativas Penais, Tales Andrade de Souza e o Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo, Marcelo da Silveira Campos. 

A Conferência Estadual de Execução Penal e Justiça Restaurativa que começou ontem, segue até a noite desta sexta-feira, debatendo os desafios de proposições da área.

Jornal Midiamax