Cotidiano

Aprovados na Agepen fazem protesto ‘para não serem esquecidos’

91 aprovados em concurso já passaram por formação

Wendy Tonhati Publicado em 08/08/2017, às 12h36

None

91 aprovados em concurso já passaram por formação

Aproximadamente 90 aprovados no concurso para a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul) fazem um protesto nesta terça-feira (8), em Campo Grande. O grupo pede para não “ser esquecido” pela administração estadual. 

De acordo com o representante dos aprovados, Eder Willian, os aprovados no concurso de 2016, já passaram pelo curso de formação, mas ainda não foram nomeados para assumir funções nos presídios pelo governo do Estado. 

“Passamos por seis fases do concurso e, depois de aprovados, passamos mais três meses na academia. Todos tivemos que deixar os seus empregos e estamos há sete meses aguardando sermos chamados pelo governo”, diz. 

Aprovados na Agepen fazem protesto ‘para não serem esquecidos’

Ronaldo Dantas é outro aprovado no concurso que participou da manifestação. Segundo ele, o objetivo é mostrar que os remanescentes estão aptos a assumir às funções e que estão sofrendo, pois, um dos requisitos, era não ter vínculo empregatício para fazer o curso de formação. 

Dantas diz ainda que quando o concurso foi realizado, a expectativa era de convocação dos 435 agentes, por conta da situação emergência, de déficit no número de agentes no Estado. 

Na assembleia Legislativa, os deputados Coronel Davi (PSC), Cabo Almi (PT), Renato Câmara e Paulo Siufi (ambos PMDB), manifestaram-se favoravelmente aos candidatos remanescentes. Davi disse que “se surpreendeu com a não nomeação [até o momento] dos aprovados e disse que conversaria com Eduardo Riedel, Secretário de Governo e Gestão Estratégica”. Siufi disse que seria “calote” a não nomeação dos aprovados. 

Ao todo, 435 agentes foram aprovados no concurso. A lista dos aprovados foi publicada no dia 17 de fevereiro. No início de abril, 200 foram chamados para ocuparem as vagas. Em maio, mais 120 candidatos do concurso. Depois, foram feitas convocações menores. 

Durante esse tempo, foram realizados vários protestos de aprovados, pressionando pela nomeação, pois para se dedicar ao curso de formação, eles tiveram que deixar os empregos. (Matéria editada para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax