Cotidiano

Vizinhos estariam ‘provocando’ cadela que escapou e mordeu menino

A criança passa bem e está em casa

Renata Portela Publicado em 15/03/2016, às 15h36

None
foto3.jpeg

A criança passa bem e está em casa

Menino de 9 anos que foi mordido na perna e nas nádegas por uma boxer, na tarde de segunda-feira (14), levou pontos nos ferimentos e está em casa. Segundo a família, o garoto passa bem e os donos da cabela deram toda assistência necessária para o tratamento da criança.

O pai do menino, Paulo Sérgio Mendonça, de 40 anos, que trabalha dirigindo caminhões boiadeiros, contou ao Jornal Midiamax que não estava na cidade quando o ataque ao filho aconteceu. Ele afirma que estava em Santa Rita do Pardo a trabalho e quando chegava na Capital recebeu ligação da esposa, informando que o filho estava na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida.

A mãe do garoto, Jodeci da Silva, de 33 anos, diz que estava em casa com outros dois filhos, enquanto o menino de 9 anos e outro filho mais velho, de 13 anos, estavam na rua. As crianças costumam 'catar' latinhas nas ruas e levam o material para casa, para os pais venderem e poderem fazer um dinheiro extra. Ela conta que os filhos haviam saído para buscarem latas quando ocorreu o ataque.

De acordo com Jodeci, os vizinhos a chamaram para subir a rua, pois o filho havia sido mordido pela cadela. Ela conta que viu populares querendo linchar os donos da boxer, e ainda tentou acalmar o ânimo dos vizinhos. “Levei um susto. Um vizinho embrulhou meu filho no lençol, colocou no carro e eu não vi os ferimentos, achei que eram só uns arranhões”, conta a mãe. Ela lembra que só percebeu a gravidade da situação quando chegou à UPA e viu os cortes na perna da criança “Só tive vontade de chorar”, diz.

O menino de 9 anos, que estava tímido e triste com a situação, contou para a equipe do Midiamax que a cadela pulou na bicicleta conduzida pelo irmão, na tentativa de morder a perna dele, mas o menino de 13 anos conseguiu desviar e a cadela acabou o derrubando da garupa.  “Eu fiquei assustado e agora tenho medo de cachorro”, conta a criança.

Provocações

De acordo com Paulo Sérgio, o casal que é dono da cadela chegou a falar para ele que pensava em sacrificar o animal, mas ele disse aos vizinhos que não havia necessidade, porque o ocorrido foi um acidente. Também de acordo com ele, outras crianças costumam passar pela casa onde vive a boxer e chutam o portão. “A cadela estava irritada há alguns dias, porque as crianças ficam provocando, então faz dias que ela estava estressada e, assim que o portão abriu, ela saiu”, diz Paulo.

Jornal Midiamax