Cotidiano

Trabalhadores da Mega Serv reclamam de atraso no pagamento do salário

Terceirizada da Prefeitura realiza limpeza dos postos do saúde

Wendy Tonhati Publicado em 14/10/2016, às 14h50

None
_mg_1084.jpg

Terceirizada da Prefeitura realiza limpeza dos postos do saúde

A limpeza dos postos de saúde de Campo Grande volta a correr risco, por conta da falta de pagamento dos funcionários da Mega Serv, terceirizada que presta serviço de limpeza e conservação à Prefeitura de Campo Grande. Até o momento, o Executivo não informou se fez o repasse integral do valor à empresa. 

Na manhã desta sexta-feira (14), vários trabalhadores entraram em contato com o Jornal Midiamax, reclamando da situação. Eles deveriam ter recebido o salário até o 5° dia útil, porém, até agora, não nem sinal do pagamento. E pior, não há previsão. 

Os trabalhadores estão indignados e até cogitam paralisar as atividades ou realizar 'operação tartaruga', trabalhando menos do que o previsto. Até o momento, somente os terceirizados que realizam a limpeza das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) receberam o salário. Essas são as unidades 24 horas e que não podem parar.

De acordo com o vice-presidente do STEAC/MS (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio e Conservação), Ton Jean Ramalho Ferreira, que representa a categoria, ainda não há informação sobre o pagamento dos terceirizados. “Hoje está sendo realizada uma reunião na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e só durante a tarde vamos saber o que vai acontecer”, diz. Trabalhadores da Mega Serv reclamam de atraso no pagamento do salário

O atraso no pagamentos dos terceirizados não é novidade. Em maio deste ano,funcionários da Mega Serv denunciaram a falta de pagamento e organizaram protestos.

A Prefeitura de Campo Grande foi procurada pelo Jornal Midiamax e até o fechamento desta reportagem, não se manifestou.

A Mega Serv foi contratada ainda na primeira gestão do prefeito Alcides Bernal e, desde então, denúncias de atrasos de salários são constantes. A empresa também esteve envolvida nas investigações da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote.

Jornal Midiamax