Cotidiano

Servidores do Detran rejeitam abono e ameaçam paralisar atividades

Categoria quer reajuste nos salários e não abano

Midiamax Publicado em 04/05/2016, às 12h43

None
download_1.jpg

Categoria quer reajuste nos salários e não abano

Nova Assembleia Geral Extraordinária do Sindetran (Sindicato dos Servidores do Detran) já está marcada para este sábado (7). E antes mesmo de a reunião acontecer, o presidente da entidade, Jonas Correa da Costa, alerta para possível paralisação ou até mesmo greve geral dos servidores.

Se a paralisação acontecer, 77 municípios, onde têm postos do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), vão ficar com as atividades paradas. Jonas explica que os servidores estão insatisfeitos com a contraproposta de R$ 250,00 de abono do Governo do Estado e já manifestaram pela paralisação, ou até mesmo pela greve geral, caso não haja outra proposta que agrade a categoria. “O Governo propôs o abono de R$200,00 e depois fez uma contraproposta de R$250,00. A categoria já sinalizou pela rejeição”, afirma.

Ele explica que esses pontos vão ser tratados na Assembleia Geral Extraordinária, no sábado, que será realizada, no Centro Comunitário José Abraão, localizado na Rua Armado Holanda, 624. A primeira convocação está marcada para às 10h15 e a segunda para às 10h30, iniciando a reunião com qualquer quórum na segunda convocação.

Outras demandas da categoria é pelo chamamento dos concursados. “Somos em torno de 800 funcionários e há deficit de pessoal. Há pessoas concursadas aguardando serem chamadas. Que estão aprovados em concurso, se for o caso que demitam os comissionados”, diz.

Ele explica que há “conversas nesse sentido com o Governo do estado, mas o assunto não está na pauta da assembleia”.

Sobre críticas de o sindicato demorar para atuar nessas questões, ele diz entender que “o servidor quer a solução de imediata. Mas conseguir uma proposta que satisfaça a categoria não acontece de um dia para o outro. Não podemos partir para uma greve ou paralisação sem autorização. Não pode ser assim, apesar de entendermos que o servidor não suporta mais essa situação”.

Na assembleia serão definidas a data da paralisação e da greve geral, se o caso. Comumente, ele diz, são encaminhas sugestões e estas passam pela avaliação de todos, que aprovam ou não. A categoria quer reajuste nos salários e não abano, os salários variam de R$ 1,2 mil, iniciais, para nível fundamental, a R$ 2,3 mil, iniciais, para nível superior. A carga horária é de 6 horas de trabalho, de segunda a sexta.

Jornal Midiamax