Cotidiano

Sem-terra são despejados de fazenda cinco meses após ocupação

250 famílias estão levantando os barracos na BR-163 

Júlia de Miranda Publicado em 04/05/2016, às 17h57

None
ef791786-af5f-4cd8-9f06-c3c42a4ce166_0.jpg

250 famílias estão levantando os barracos na BR-163 

Integrantes dos movimentos sociais FNL (Força Nacional de Luta), MAC (Movimento de Agricultura Camponesa), MAF (Movimento de Agricultura Familiar) e MSTB (Movimento Sem Terra Brasileiro), que ocuparam no final do ano passado uma fazenda localizada no km 395 da BR-163 em Nova Alvorada do Sul, se retiraram hoje de manhã da propriedade diante da intimação do Oficial de Justiça. Caso não fosse cumprido a desocupação, a Tropa de Choque entraria em ação.

Segundo o agricultor Claudinei Monteiro, 37,  250 famílias estão se deslocando para a BR-163. “Ocupamos uma área grande que possui mais de 22 milhões em dívidas. O que eles estão fazendo é tirar a gente daqui e passar o 'problema' para outros. Vamos armar os barracos na rodovia, lá o perigo para as nossas famílias é muito maior, isso é um absurdo', comentou. A previsão é que até amanhã todos as pessoas já tenham ido embora do local habitado.

Relembrando

Em 2015 os grupos fizeram várias reivindicações, entre elas, a aceleração da reforma agrária, liberação de verba para assentamentos em Mato Grosso do Sul e reestruturação e manutenção de rodovias a fim de melhorar o escoamento de produções.

O mesmo grupo também participou da ocupação da sede do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) no dia 15 de dezembro, onde ficou por 24 horas. Os sem-terra deixaram o local, prometendo na época novas ocupações.

Jornal Midiamax