Cotidiano

Selco ganha licitação, tem contrato aditivado e dá calote em funcionários

120 funcionários de empresa tapa-buracos estão sem salário

Wendy Tonhati Publicado em 06/09/2016, às 16h21

None
interna_selco_0.jpg

120 funcionários de empresa tapa-buracos estão sem salário

Os trabalhadores da Selco Engenharia estão sem receber o salário há dois meses, segundo o Sinticop (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada de MS).

A previsão era de paralisação da atividades e assembleia nesta terça-feira (6), nas a empresa se antecipou e deu folga de dois dias para os trabalhadores. A Selco é uma das empresas contratadas pela Prefeitura para realizar o tapa-buracos em Campo Grande. Enquanto as ruas viram um campo minado a cada chuva, somente neste mês, a empresa venceu uma licitação e teve o contrato já firmado aditivado em 10%. 

Conforme publicações no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), a primeira, datada do dia 2, é o resultado de uma nova licitação. A empresa vai executar, junto com a Equipe Engenharia Ltda, obras de infraestrutura urbana nos bairros Vila Nasser e Nova Lima. Apenas o valor da proposta ofertada pela Equipe Engenharia foi divulgada: R$ 20,9 milhões, o menor preço ofertado.

Nesta terça-feira (6), o contrato com a Prefeitura para a realização dos serviços de 'tapa-buraco' e fornecimento de CBUQ (concreto betuminoso usinado e quente), firmado logo no início da gestão do prefeito Alcides Bernal (PP), foi aditivado em cerca de 10% (R$ 349.988,49), e agora vale R$ 3,8 milhões em repasses.

De acordo com o presidente do Sinticop, Walter Vieira dos Santos, a Selco tem 120 trabalhadores que estão com os salários de julho e agosto em atraso, sem o tíquete de alimentação e a empresa ainda estaria devendo FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). “O auditor da Ministério Público do Emprego ligou na empresa e falaram que eles pagar a folha mais antiga na próxima semana. Eles alegaram que estão com atraso de medição junto a Prefeitura, mas quem é responsável pela mão de obra é a empresa”, afirma. 

Conforme o presidente do sindicato, caso não haja resposta da empresa até a quinta-feira, os trabalhadores serão mobilizados para que as atividades sejam suspensas. No dia 21 de junho deste ano, 50 funcionários pararam as atividades pelo mesmo motivo: o atraso no pagamento de salários e no dia seguinte, metade foi demitido pela Selco. 

A Selco foi flagrada no início de 2015 tapando “buracos fantasmas”, durante a gestão do ex-prefeito Gilmar Olarte (PP). A época, a assessoria do ex-prefeito alegou que o reparo foi feito para fechar uma rachadura de forma preventiva, para que não fosse formado um buraco no local.

O Jornal Midiamax tentou contato com a Selco Engenharia, mas os telefonemas não foram atendidos na empresa. Um dos diretores foi contatado, mas informou que estava em viagem fora de Campo Grande, por motivos de saúde. 

Jornal Midiamax